CORPO, ESCOLA, BIOPOLÍTICA E A ARTE COMO RESISTÊNCIA

Maria Rita de Assis César

Resumo

Ao perguntar sobre o corpo no mundo contemporâneo, em especial na escola, este
texto analisa os significados do corpo a partir de dispositivos disciplinares e biopolíticos. Os
conceitos de Michel Foucault sobre disciplina e biopolítica são abordados e a escola é tomada
como uma instituição que produz significados sobre o corpo no contexto da modernidade
disciplinar. Nesta investigação o conceito de biopolítica é ampliado e relacionado com a idéia da
sociedade de controle proposta por Gilles Deleuze. Tal perspectiva teórica não apenas revela a
crise das instituições disciplinares, dentre elas a escola, como também permite refletir sobre
as novas produções de sentido sobre o corpo a partir da análise da questão da obesidade e de seu
combate na escola por meio de novos programas sociais. Por fim, a arte de Fernanda Magalhães
é apresentada como um largo riso que zomba da verdade médica sobre o corpo na
contemporaneidade, problematizando-se assim a abordagem biopolítica da obesidade na escola.

Palavras-chave

Biopolítica; Corpo; Escola; Obesidade; Arte.

Texto completo:

PDF