O “Novíssimo Príncipe”. Gramsci e a reconstrução da teoria marxista do partido

Geraldo Magella Neres, Marcos del Roio

Resumo


É somente nos “Cadernos do cárcere”, através da fórmulapolítica cristalizada no ‘moderno Príncipe’, que a teoria gramsciana dopartido político atinge a sua configuração definitiva. Além do diálogodireto com as formulações leninianas e com aquelas posteriormentedesenvolvidas pela Internacional Comunista (IC), é também perceptível osecos da interlocução crítica com a sociologia elitista do partido político deRobert Michels. Em grande medida, é graças a esse approach crítico, e nãosectário, que Gramsci pôde produzir uma das mais originais reflexõessobre a organização partidária dentro da tradição marxista, enfrentando asquestões então negligenciadas da burocratização e da oligarquização dospartidos operários, fornecendo, assim, uma possível superação teóricapara a tese elitista da inevitabilidade da cisão entre os interesses do núcleodirigente partidário e os interesses de sua referência social. O objetivodeste trabalho é recuperar algumas contribuições de Gramsci para areconstrução da teoria do partido revolucionário nos dias de hoje.

Palavras-chave


Revolutionary Party; ‘Modern Prince’; Antonio Gramsci. 1 INTRODUÇÃO A

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Tempo da Ciência



e-ISSN: 1981-4798 — ISSN: 1414-3089

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Toledo
Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais

Rua da Faculdade, 645 — Jardim La Salle
CEP: 85903-000 — Toledo-Paraná-Brasil

| revistatempodaciencia@yahoo.com.br |