FORMAS DE CONCEBER “COMUNIDADE” E “DONS” EM TRÊS VERTENTES CRISTÃS: ANALISANDO RUPTURAS E CONTINUIDADES

Cecília L. Mariz

Resumo

A partir da proposta de uma “antropologia do cristianismo” que destaca a importância de pesquisar rupturas e inovações culturais promovidas por grupos cristãos, esse texto compara como pentecostais, católicos da Renovação Carismática e “católicos da libertação” se expressam para se referir a suas comunidades, dons que recebem e dádivas e ofertas que fazem. Enquanto práticas religiosas que enfatizam o sobrenatural e submissão a Deus, esses discursos cristãos aparentemente não teriam como inovar no contexto brasileiro de maioria cristianizada por séculos. No entanto, com base em pesquisas realizadas em períodos diversos sobre os três tipos de cristianismo, e com uma revisão da bibliografia, sustenta-se que, de formas distintas, os três propõem novas formas de conceber a relação com a comunidade e com a dádiva que resultariam, em princípio, numa maior autonomia individual e, consequentemente, em vivências distintas que rompem com aquelas experimentadas em religiosidades (sejam essas vertentes católicas ou outras) que valorizam mais a obediência à autoridade religiosa e submissão.

Palavras-chave

Religião; Matrizes Cristãs; Continuidades e Rupturas.

Texto completo:

PDF