O eterno retorno da vontade de poder: uma leitura deleuziana da univocidade do Ser em Nietzsche

Elemar Kleber Favreto

Resumo

Este texto tem por objetivo apresentar as linhas da interpretação
deleuziana do pensamento de Nietzsche que se inscreve no âmbito do eterno retorno do mesmo e da vontade de poder. Deleuze parece tomar esta interpretação como um dos pontos mais relevantes para a formação do seu próprio pensamento, fazendo de Nietzsche um guia para se chegar à Diferença e Repetição. O que mais impressiona neste terceiro momento do unívoco (que é como Deleuze agencia o pensamento de Nietzsche) é a sua dupla afirmação perante o Ser, uma no sentido de um retorno eterno, enquanto repetição da diferença, e a outra como uma vontade de poder plena e completa, pensada como a própria diferença que retorna. A univocidade do Ser, nesta interpretação, se mostra como a mais pura afirmação da diferença e não mais como negação dela, como se fazia na filosofia da representação.

Palavras-chave

Repetição; Diferença; Eterno retorno do mesmo; Vontade de poder.

Texto completo:

PDF