Rousseau e Sêneca: da Crítica das Luzes à Defesa da Virtude

Arlei de Espíndola

Resumo

O presente artigo constitui-se numa leitura do primeiro Discurso com o intuito de mostrar o sentido da crítica dirigida por Rousseau às ciências e às artes. Recorrendo ao nexo do texto com uma fonte de leitura fundamental do filósofo no pensamento antigo para facilitar essa tarefa, conclui-se que o autor genebrino não é um inimigo absoluto das luzes.

Palavras-chave

Filosofia Moral; Iluminismo; Racionalismo; Liberdade Humana; Fontes de Leitura de Rousseau.

Texto completo:

PDF