Jovens e seletividade étnico racial: educação, trabalho e renda na microrregião de Toledo, PR

Luciana Vargas Netto Oliveira, Silvio Antônio Colognese

Resumo

O objetivo do artigo é analisar as possíveis relações existentes entre juventude
e a questão étnico-racial entre os jovens, a partir de três variáveis: educação, trabalho e renda.
A pesquisa utiliza-se da abordagem quanti-qualitativa, os dados foram coletados em fontes
secundárias e os sujeitos perfazem a totalidade dos jovens entre 18 e 29 anos, residentes na
microrregião de Toledo (composta de 21 municípios), localizada na região Oeste do estado do
Paraná, Brasil. Os resultados indicam que os jovens autodeclarados “pretos” estão em maior
proporção entre os analfabetos e com Ensino fundamental incompleto; os autodeclarados
“pardos” também representam quase 3 vezes menos jovens com Ensino Superior Completo.
Sobre o trabalho, os jovens autodeclarados “brancos” apresentam maior proporcionalidade
entre os funcionários públicos, os trabalhadores por conta própria e os empregadores. Os
jovens autodeclarados “pretos” estão em maior proporção dentre os trabalhadores informais
e em menor proporção entre os empregadores, assim como os autodeclarados “pardos”.
Em relação à renda, os autodeclarados “brancos” apresentam maior proporcionalidade em
todas as faixas de renda maiores que 2 salários mínimos por mês, ao contrário dos jovens
autodeclarados “pretos” e “pardos”, que figuram em maior proporção entre os sem renda e
nas menores faixas.

Palavras-chave

Juventude; Etnia; Educação;

Texto completo:

PDF