Colono, produtor, negociante: Trajetórias na produção de um território

Celso Antonio Favero

Resumo


O objetivo deste trabalho é definir marcos para uma interpretação sociológica do processo de produção histórico-social de um território, o município de Toledo, no Oeste do Paraná. O que é Toledo, que caminhos nos levam a Toledo, que atores, estratégias e mecanismos contribuem para a produção deste território, como esses atores agem e que metamorfoses no território resultam dessa ação? Como o território se estrutura, se autorepresenta e se insere, atualmente, no tempo/espaço de uma “globalização” marcada pela “indeterminação”? Entende-se o território, para essa finalidade, como campo estruturado de atores portadores de histórias e de projetos, com suas respectivas posições e disposições; ele é, portanto, obra/produção sócio-histórica.

Palavras-chave


Toledo; território; produção histórico-social; globalização

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Tempo da Ciência



e-ISSN: 1981-4798 — ISSN: 1414-3089

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Toledo
Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais

Rua da Faculdade, 645 — Jardim La Salle
CEP: 85903-000 — Toledo-Paraná-Brasil

| revistatempodaciencia@yahoo.com.br |