Por que o mal é radical em Kant?

Letícia Machado Pinheiro

Resumo

Kant, no decorrer de “Sobre o mal radical na natureza humana” (primeira parte da obra A religião nos limites da simples razão), cita apenas três vezes a expressão “mal radical”. Essa expressão é empregada no sentido de delimitar certas peculiaridades constatadas no conceito de mal moral, as quais não permitem que ele seja concebido como um simples mal, mas o elevam à categoria de um mal radical. A explicitação dessas minúcias, cuja presença justifica a radicalidade do mal, é tema do artigo que segue.

Palavras-chave

Kant; ética; mal radical; natureza humana; imputabilidade

Texto completo:

PDF