Mulheres que são (ou poderiam ser) referências para as Ciências Sociais

Vania Sandeleia Vaz da Silva

Resumo

Antes de apresentar quais artigos foram selecionados para esta edição da revista TEMPO
DA CIÊNCIA gostaria de explicar a capa que é ao mesmo tempo um desafio visual, uma
homenagem e um convite. Primeiro o desafio: quem são essas pessoas cujas fotografias estão
aleatoriamente agrupadas? Quais delas são imediatamente lembradas apenas olhando para
suas faces? Quais dentre estas “autoras” são mais conhecidas? Quais são completamente
estranhas? Quais delas já estiveram presentes nas bibliografias das disciplinas que cursamos
ou ministramos? Quais são suas obras principais ou mais conhecidas? Será possível lembrar
rapidamente de algum tema, conceito, ideia, teoria, livro, capítulo, texto, ensaio, que já tenha
sido lido, estudado, analisado ou incorporado por nós ao nosso trabalho acadêmico? Agora a homenagem: cada uma dessas “autoras” mereceria já ter sido indicada, estudada,
considerada como uma “referência” importante para alguma das três áreas das Ciências
Sociais, embora não se trate apenas de antropólogas, sociólogas ou cientistas políticas. Daí
o convite: na sequencia revelo seus nomes e cito pelo menos uma obra de cada autora, que
pode ser adequada para um “primeiro” encontro auspicioso – espero – para quem ainda não
as conhece. Penso principalmente nas estudantes que não tiveram a oportunidade de estudar
alguma das teorias, noções, conceitos, ideias destas pensadoras, que, enfim, não tiveram a
chance de olhar para a realidade a partir da perspectiva de uma autora, pois é mais comum
estudarmos “os clássicos” das nossas áreas – homens, brancos, ocidentais, (compulsoriamente
heterossexuais), a maioria já mortos. Espero que outras teóricas sejam lembradas – por sua
ausência na capa – e que sejam agregadas como referências e talvez se juntem ao cânone.

Texto completo:

PDF