O Inconsciente temporalizado

João José R. L. Almeida

Resumo

Um dos maiores problemas filosóficos da psicanálise tem sido o de definir o estatuto da sua teoria, o que envolve esclarecer e justificar seu conceito central, o de inconsciente. Isso pode ser demonstrado nas psicanálises de Freud e de Lacan. Para executar esta tarefa, Freud concebeu sua teoria nos parâmetros de uma ciência natural, adotou uma concepção representativa de linguagem e constituiu uma metapsicologia afigurada em um espaço lógico. A espacialização do inconsciente, no entanto, obriga à validação da teoria dentro de normas que a psicanálise não pode, simplesmente, cumprir. Lacan, no seu famoso retorno, dissolveu o caráter atemporal do inconsciente freudiano e evitou incorrer no mesmo tipo de confusão conceitual O tempo lógico é central não só para a clínica lacaniana, mas também para o seu conceito de inconsciente. Discutir, as conseqüências clínicas e epistemológicas de um e de outro caso, resulta no projeto de investigar a possibilidade de uma psicanálise dotada de uma metapsicologia minimalista.

Palavras-chave

Filosofia da Psicanálise, Freud, Lacan, Wittgenstein

Texto completo:

PDF