Comunidade de Fé e de Dádivas

Suely Dulce de Castilho

Resumo

O presente artigo é parte da pesquisa etnografia realizada na Comunidade
Negra Rural Mata-Cavalo, localizado no Estado de Mato Grosso, para fins de doutoramento2.
O objetivo do texto aqui apresentado é apreender o sentido das festas de santo para a
comunidade e para as pessoas que delas participam. Ancorei-me na observação das festas
de São Benedito e nos relatos dos moradores tradicionais da localidade: festeiros e
festejadores. As informações foram apreendidas e interpretadas de acordo com a concepção
etnográfica de Geertz (1989: 321). Ou seja, “como um conjunto de texto” - teia de
significações - que, como pesquisadora, tentei ler por sobre os ombros daqueles a quem
ele pertence. O argumento está organizado de forma a demonstrar que as festas são
formas de dádivas manifestas entre as famílias e supõem, antes de qualquer coisa, o
fortalecimento de laços entre as pessoas, cujo fundamento é, concomitantemente demarcar
uma fronteira étnico-racial quilombola; fortalecer o vínculo entre as pessoas e aglutinar
forças na luta pela posse da terra e na conquistas de outros bens e melhorias. A festa tem,
portanto, papéis religioso, lúdico, mas também político.

Palavras-chave

dádiva, culturas, quilombo contemporâneo.

Texto completo:

PDF