Reflexões sobrea historiografia da redemocratização brasileira de 1945

Gilberto Grassi Calil

Resumo


Este artigo tem como objetivo problematizar algumas interpretações presentes nos estudos de historiadores e cientistas políticos acerca da redemocratização brasileira de 1945. Em especial busca questionar as teses correntes que sustentam a queda da ditadura varguista como "adaptação" ao novo contexto internacional, apontam a oposição liberal-oligárquica como expressão única da oposição ao regime varguista, indicam o "Manifesto dos Mineiros" de outubro de 1943 como marco inicial do processo, e analisam o golpe militar de outubro de 1945 como evento que consolidou a redemocratização. Pretendemos, ao contrário, evidenciar a relevância dos "fatores internos", apontando a existência de um vasto movimento popular contestatório, que desde 1942 promove uma diversidade de manifestações, com perspectivas antagônicas às das oposições liberal-oligárquicas; bem como a reação destas no sentido de barrar o aprofundamento da democratização, através do golpe de outubro de 1945.

 


Palavras-chave


Autoritarismo; Democracia; História do Brasil República; História Política, Processo Político Brasileiro

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Tempos Históricos

 

e-ISSN 1517-4689 

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Marechal Cândido Rondon

Programa de Pós-Graduação em História

Rua Pernambuco, 1777- Caixa Postal 91

Marechal Cândido Rondon – Paraná- Brasil

CEP: 85960-000

| e-mail principal: revista.thistoricos@unioeste.br — e-mail secundário: thistoricos@yahoo.com.br |