A FORMAÇÃO HUMANIZADORA PELA LITERATURA EM O FAZEDOR DE VELHOS

Cleiser Schenatto Langaro, Diana Maria Schenatto Bertin

Resumo

A partir da narrativa O fazedor de velhos, de Rodrigo Lacerda (2008), discorre-se sobre a contribuição da literatura para a formação humanizadora, conforme os pressupostos de Candido (1972). Busca-se compreender o romance de formação, bildungsroman, conforme reflexões de Maas (2000) e Pinto (1990). As questões estruturais da obra, narrador, linguagem, formato, bem como a intenção pedagógica, permeiam a abordagem. Além dos autores já citados, Colomer (2003), Tododov (2009), Barthes (1973), Eco (2001), Lajolo (1989), dentre outros, contribuem para a leitura interpretativa e analítica.

Palavras-chave

O fazedor de velhos; Bildungsroman; Literatura e humanização

Texto completo:

PDF