BOAS FESTAS (!?): e o espírito natalino se torna “política”

João Carlos Cattelan

Resumo

Partindo da tese de uma pesquisadora em psicanálise de que não é o estudioso que encontra o objeto de pesquisa, mas que é a temática que o envolve ou que move a sua vida de estudos que o faz, e que, conforme se atribui a Stalin, “a língua vai sempre aonde o dente doi”, busco analisar um cartão de boas festas que foi postado no site da instituição em que atuo e refletir sobre a sobreposição de um gênero discursivo por outro, fazendo com que a singeleza natalina fosse sobrepujada pela visada “política” e ideológica interesseira.

Palavras-chave

Discurso; Gênero;Pesquisa; Natal.

Texto completo:

PDF