SEÑOR MÍO DON DIEGO: OS MANUSCRITOS ÍNTIMOS E APAIXONADOS DE FRIDA KAHLO

Paulo Cesar Fachin

Resumo


A arte de escrever cartas é um terreno muito fértil para pesquisas relacionadas às escritas de si e estudos literários no contexto latino-americano. Na correspondência de Frida Kahlo, é possível encontrar fragmentos isolados que se relacionam e estão coerentes entre si, além de desenhos e rabiscos que, nas cartas, trazem a confissão de seu sentimento e certo grau de dependência de sua arte e de Diego Rivera. O objetivo deste trabalho é fazer uma análise da correspondência deixada pela pintora mexicana, por meio de cartas que, assim como muitos dos retratos e autorretratos, expressam os sentimentos da artista que se relacionam com detalhes íntimos de sua vida, revelando e tornando pública essa intimidade. Para as discussões fizemos uma revisão bibliográfica considerando os pressupostos teóricos de Perrone-Moisés (2000), Tin (2005) e Rodrigues (2015).


Palavras-chave


Cartas; Frida Kahlo; correspondência; Diego Rivera.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2017 Trama

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista Trama

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

e-ISSN 1981-4674 

Unioeste

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Marechal Cândido Rondon 

Colegiado do Curso de Letras

Rua Pernambuco, 1777

Marechal Cândido Rondon - Paraná

Caixa Postal 91 - CEP: 85960-000

| trama.unioeste@gmail.com |