ENSINO E APRENDIZAGEM DA LEITURA: IMPLICAÇÕES CONCEITUAIS E METODOLÓGICAS

Karoliny CORREIA, Suziane da Silva MOSSMANN

Resumo


Este artigo tematiza elaborações didáticas de práticas de leitura produzidas por graduandos da última fase de um curso de Letras-Português de uma universidade do Sul do Brasil na modalidade EaD. O objetivo é caracterizar abordagens metodológicas, considerando a apropriação conceitual da ancoragem teórico-epistemológica de base histórico-cultural, que foi assumida nos projetos de docência. Nesse enfoque, observaram-se convergências, divergências ou indícios de aproximação dessa concepção teórica, tendo em vista a articulação entre teoria e prática, considerando diretrizes elaboradas por Correia (2017) em se tratando da apropriação conceitual e aplicadas em Mossmann (2019). Trata-se de um estudo de abordagem qualitativa com aporte em pesquisa documental (MINAYO, 2008), que compreendeu a análise de projetos de docência e extraclasse produzidos por ocasião do período de Estágio Supervisionado em turmas do Ensino Médio. Para tal propósito, ancoramo-nos em teorizações da filosofia bakhtiniana, da psicologia da linguagem vigotskiana, bem como teorizações referentes às concepções de leitura. Os resultados evidenciam que não houve, quanto às ações metodológicas, convergências ao ideário histórico-cultural, predominando os indícios de aproximação dessa concepção, mas com frequentes remissões a outras abordagens teóricas, sugerindo não ter havido apropriação conceitual efetiva para uma ação metodológica centrada na abordagem de uso e reflexão da linguagem. Desse modo, este estudo contribui para as discussões da Linguística Aplicada na medida em que sinaliza a necessidade de ressignificação dos programas de formação inicial e continuada no que se refere à elaboração didática docente sobre a leitura.

Recebido em: 30-04-2020

Revisões requeridas em: 24-06-2020

Aceito em: 11-07-2020

REFERÊNCIAS:

BAKHTIN, Mikhail. Filosofia do ato responsável. São Carlos: Pedro e João Editores, 2010 [1920-24].

BRASIL. SEF. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Fundamentos pedagógicos e estrutura geral da BNCC. Brasília, DF, 2017.

BRITTO, Luiz Percival Leme. Contra o consenso: cultura escrita, educação e participação. Campinas: Mercado de Letras, 2003.

_____. Inquietudes e desacordos: a leitura além do óbvio. Campinas/SP: Mercado de Letras, 2012.

CATOIA DIAS, Sabatha. O ato de ler e a sala de aula: concepções docentes acerca do processo de ensino e de aprendizagem de leitura/práticas de leitura. Dissertação (Mestrado em Linguística). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.

CERUTTI-RIZZATTI; Mary E.; DAGA, Aline C.; CATOIA DIAS, Sabatha. Intersubjetividade e intrassubjetividade no ato de ler: a formação de leitores na Educação Básica.Calidoscópio. v. 12, n. 2, p. 226-238, mai/ago 2014.

CORREIA, Karoliny. Diretrizes para análise da escritura: uma abordagem histórico-cultural. Florianópolis, SC. Tese (Doutorado em Linguística). Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina, 2017.

_____. O ato de dizer na esfera escolar: reverberações do ideário histórico-cultural no ensino da produção textual escrita. Dissertação (Mestrado em Linguística). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler. São Paulo: Cortez; Editora Autores Associados, 1994.

GERALDI, João Wanderley. O texto na sala de aula. São Paulo: Ática, 1984.

_____. Portos de passagem. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

_____. A aula como acontecimento. São Carlos: Pedro e João Editores. 2010.

HALTÉ, Jean-François. L’espace didactique et la transposition. Pratiques, Metz: Siege Social, ns. 97-98, p. 171-192, 1998. [tradução para o português publicada em Fórum Lingüístico, v. 5, n. 2, p. 117-139, 2008.

HEATH, Shirley Brice. What no bedtime story means: narrative skills at home and school. In: DURANTI, A. (Org.) Linguistic Anthropology: a reader. Oxford: Blackwel, 2001 [1982]. p. 318-342.

KOCH, Ingedore V. Ler e compreender: os sentidos do texto. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2009.

LEFFA, Vilson J. Perspectivas no estudo da leitura: texto, leitor e interação social. In: LEFFA, Vilson J.; PEREIRA, Aracy, E. (Orgs.) O ensino da leitura e produção textual: alternativas de renovação. Pelotas: Educat, 1999. p. 13-37.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 11 ed. São Paulo: Hucitec, 2008.

MOSSMANN, Suziane da S. Educação em Linguagem: da intersubjetividade à apropriação de objetos culturais atinentes à formação de professores de Língua Portuguesa. Tese (Doutorado em Linguística). Universidade Federal de Santa Catarina, 2019.

TOMAZONI, E. Produção textual escrita e escola: um olhar sobre ancoragens de concepções docentes. 2012. Dissertação (Mestrado em Linguística). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.

VOESE, Ingo. Desafios para uma análise do discurso (e para o ensino?). Linguagem em (dis)curso, v. 3, n. 1, p. 187-210, jul./dez. 2002.

VOLÓCHINOV, Valentín Nikoláievich. El marxismo y la filosofia del lenguaje. Buenos Aires: Ediciones Godot, 2017 [1929].

 



Palavras-chave


Práticas de leitura, Ideário histórico-cultural, Língua Portuguesa, Elaboração didática.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2020 Trama

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista Trama

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

e-ISSN 1981-4674 

Unioeste

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Marechal Cândido Rondon 

Colegiado do Curso de Letras

Rua Pernambuco, 1777

Marechal Cândido Rondon - Paraná

Caixa Postal 91 - CEP: 85960-000

| trama.unioeste@gmail.com |