AS PRÁTICAS DE BILINGUISMO E A INTERAÇÃO ENTRE SURDOS E OUVINTES NO CONTEXTO DAS ESCOLAS INCLUSIVAS. O QUE ESTÁ FALTANDO?

Maria Lourdes de Moura

Resumo


Compreender a si mesmo e aos outros que o cercam tentando amenizar as fronteiras lingüísticas que afastam ou agridem muitas vezes, se constitui um dos maiores objetivos do ser humano. Nas reflexões propostas neste trabalho, porém, percebem-se marcas profundas de discriminação nas relações cotidianas de sala de aula em escolas inclusivas da região oeste do Paraná, entre estudantes surdos com colegas e professores ouvintes, assim como, a falta de valorização do potencial intelectual do sujeito usuário de um código lingüístico diferente da língua majoritária.

Palavras-chave


Ensino e surdez; interações x intenções

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.48075/rt.v7i14.5791

Direitos autorais



Revista Trama

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

e-ISSN 1981-4674 

Unioeste

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Marechal Cândido Rondon 

Colegiado do Curso de Letras

Rua Pernambuco, 1777

Marechal Cândido Rondon - Paraná

Caixa Postal 91 - CEP: 85960-000

| trama.unioeste@gmail.com |