POLIFONIA DA DESILUSÃO OU DA DESCARTABILIDADE DISCURSIVA

Daniel Conte

Resumo

RESUMO: O presente ensaio busca evidenciar a instauração de um discurso negador da revolução no pós-independência em Angola. Isso se dá a partir do momento em que nos detemos no decurso dos personagens na obra O cão e os caluandas, de Pepetela, que, na sua construção narrativa, evidenciam um desencanto com a democracia que se desenha depois do 11 de novembro de 1975. O entrecruzamento de vozes se torna visível e a apropriação do discurso colonizador (antes negado) será a tônica para a
elevação soberana de uma voz burladora que nega os 14 anos de luta anticolonialista e relega a um plano secundário o verbo da revolução.

Palavras-chave

Personagens; Discurso; Democracia.

Texto completo:

PDF