“UM MOÇO MUITO BRANCO” E AS ANDANÇAS DE UM ALIENÍGENA NO SERTÃO

Anderson Teixeira Rolim

Resumo

Este artigo analisa o conto Um Moço Muito Branco, de Primeiras Estórias (1962), de Guimarães Rosa. Observa os elementos que compõem a passagem deste extraterrestre pelo sertão mineiro. Mais especificamente, verifica a possibilidade de transformação, trazida à tona, para aquela pequena comunidade, através do contato com este moço tão estranho. Assim, confronta os elementos observados com o conceito de unheimlich, segundo Freud, e do fantástico, segundo Todorov.

Palavras-chave

Guimarães Rosa; conto; insólito.

Texto completo:

PDF