A escrevivencia de Maria Firmina dos Reis no conto A Escrava

Giselle Aparecida Luz

Resumo

A proposta deste estudo é analisar o conto A escrava, da escritora  Maria Firmina dos Reis ([1877]2004) com o  objetivo de observar como se dá a construção identitária da escrava Joana a partir do que escritora  vê e nos faz ver através da voz  que atribuí a sua narradora. Para tanto, nos embasaremos nas discussões propostas por Bauman (2005), no que tange a temática da identidade;  Hartog (1999) e Baggio (2009), a respeito da Retórica da alteridade; bem como Lobo (2006) e Muzart (1999), sobre a vida e as obras de Maria Firmina dos Reis. A partir das análises, foi possível compreender  que a escritora Maria Firmina em seu conto A escrava problematiza o sistema escravocrata e machista vivenciado na sociedade brasileira em pleno século XIX. Para realizar tal movimento a escritora ousa dar lugar e voz para a escrava Joana que havia sido silenciada ao longo de toda sua vida.

Palavras-chave

Escritura feminina; Silenciamento; Identidade; Alteridade.

Texto completo:

PDF