O mito diretivo das digitais influencers como potencializador do discurso consumista

Cláudia Borges de Lima, Elza Kioko Nakayama Nenoki do Couto, Michelly Jacinto Lima Luiz

Resumo


Este estudo visa observar e analisar, pelo viés da Análise do Discurso Ecológica e da Antropologia do Imaginário, como o discurso consumista é construído pelas Digitais influencers goianas, na atualidade, buscando compreender a figura dessas personalidades como potencializadoras do discurso consumista. Visto que os discursos consumistas estão cada vez mais exacerbados, propõe-se a analisar as estratégias utilizadas pelas digitais influencers goianas, tendo em vista os aspectos persuasivos e afetivos. Para alcançar esse objetivo, iniciaremos nosso estudo observando os elementos linguísticos e extralinguísticos no intuito de apreender os mitemas que nos levam ao mito e as imagens que povoam o imaginário coletivo no qual o corpus está inserido. Como fundamentação teórica, será utilizada a teoria da ADE (COUTO et al., 2015), buscando compreender as interações entre indivíduo-indivíduo e indivíduo-mundo, isto é, os elementos linguísticos e extralinguísticos que compõem as interações, além da teoria do Imaginário (DURAND, 1999), que nos auxiliará a entender as imagens que circundam e compõem o objeto de estudo. O corpus de análise compreenderá três perfis do Instagram: Danila Guimarães, Rafaella Kalimann e Andressa Suita, devido ao fato de elas estarem no topo da lista dos perfis goianos mais seguidos no Instagram. A coleta de dados será feita nas publicações dos perfis selecionados. Além disso, será utilizado o método da focalização, ou seja, o recorte de dado campo de interações, mas sem desprezar o todo (GARNER, 2004). Pode-se perceber que é a identificação como heroínas que as fãs atribuem às digitais influencers que as torna potencializadoras de um discurso consumista, uma vez que instigam, nas seguidoras, o desejo de adquirir o mesmo sentimento de realização e pertencimento ao universo que as circunda.


Palavras-chave


Digitais influencers; Análise do Discurso Ecológica; Discurso Consumista; Antropologia do Imaginário.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, H. A condição humana. Tradução R. Raposo. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

BAUMAN, Z. Vida para o consumo – A transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

BAUDRILLARD, J. Função-signo e lógica de classe. Em: A economia política dos signos. São Paulo: Editora Martins Fontes, 1996.

BOURDIEU, Pierre. Gostos de classe e estilos de vida. Em: ORTIZ, Renato (org.). Pierre Bourdieu: Sociologia. São Paulo: Ática, 1983. p. 82-121.

CHERVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. Trad. Vera da Costa e Silva et al. Rio de Janeiro: J. Olympio, 2015.

COUTO, H. et al. Análise dos Discurso Ecológica ADE. Goiânia: Editora UFG, 2015. 528p. (Coleção Síntese; v. 2).

COUTO, H. et al. (Org.). O paradigma ecológico para as ciências da linguagem: ensaios ecolinguísticos clássicos e contemporâneos. Goiânia: Editora UFG, 2016. 528 p. (Coleção Síntese; v. 2).

DURAND, G. As estruturas antropológicas do imaginário. Trad. de Hélder Godinho. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

GARNER, M. Language: an ecological view. Oxford/Berlim: Peter Lang, 2004.

HOFFMANN, E. G. A influência dos blogs no processo de consumo. Porto Alegre: UFRGS, 2010.

KARHAWI, I. Influenciadores digitais: o Eu como mercadoria. In. SAAD-CORRÊA, E. N.; SILVEIRA, S. C. Tendências em Comunicação Digital. São Paulo: ECA-USP, 2016.

LIPOVETSKY, Gilles. A felicidade paradoxal: ensaio sobre a sociedade de hiperconsumo. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

NENOKI DO COUTO, Elza Kioko Nakayama. Ecolinguística e imaginário. Brasília: Thessaurus, 2012

PITTA, D. P. R. Iniciação à teoria do Imaginário de Gilbert Durand. Rio de Janeiro: Atlântica Editora, 2005.

PIZA, Mariana Vassalo. Processos de influências sociais no ambiente online: análise da Youtuber Jout Jout. 2016. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília, Brasília, 2016. Disponível em: http://repositorio.unb.br/handle/10482/22919_MarianaVassaloPiza.pdf. Acesso em: 04/09/2018.

VOGLER, C. A jornada do herói. In: VOGLER, C. A jornada do escritor: estruturas míticas para escritores. Trad. de Ana Maria Machado. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2006. p. 47-66.




Direitos autorais 2020 Autores mantêm os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob CC-BY-NC-SA 4.0 que permite o compartilhamento do trabalho com indicação da autoria e publicação inicial nesta revista

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.