EIS QUE NASCE A BAIANA: RELAÇÕES ENTRE CARMEN MIRANDA, IDENTIDADE E ESTADO

Káritha Macedo

Resumo


Este trabalho se propõe a analisar a construção de uma identidade nacional brasileira a partir da figura de Carmen Miranda e de sua “baiana”. Debate o surgimento da personagem que caracteriza Carmen e por que ela chegou ao status de “símbolo nacional” e sinônimo de “identidade brasileira”. Para tanto, busca outros elementos nacionais que subsidiaram esse entendimento e analisa a performance de Carmen em “O que é que a baiana tem”, no filme “Banana da Terra” (1939), primeira vez que vestiu a personagem. Entretanto, no mesmo ano do lançamento do filme, Carmen Miranda parte para os Estados Unidos, e lá sim a baiana se tornaria o ícone que hoje conhecemos. Portanto, a fim de compreender de que modo se tornou um mito, levanta alguns pontos da sua carreira naquele país. As pesquisas realizadas partiram das imagens difundidas de Carmen Miranda, de sua filmografia, da literatura disponível, da mídia impressa e digital, e dos acervos virtuais. Concluindo que Carmen Miranda foi uma personagem que ilustrou um discurso densamente sedutor, no qual representa a popularização de ideais e alimentou a imagem do “tipo brasileiro” e “latino”. 


Palavras-chave


Carmen Miranda; “O que é que a baiana tem”; identidade nacional; símbolo nacional; imagem.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2011 Autores mantêm os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob CC-BY-NC-SA 4.0 que permite o compartilhamento do trabalho com indicação da autoria e publicação inicial nesta revista

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.