A ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA REDE DE SAÚDE MENTAL BRASILEIRA: REVISÃO INTEGRATIVA

Gicelle Galvan Machineski, Letícia da Silva Schran, Sebastião Caldeira, Maria Lúcia Frizon Rizzotto

Resumo

Objetivo: Entender a organização dos serviços brasileiros de saúde mental entre os anos de 2011 e 2016. Materiais e Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura.Para identificar os estudos publicados sobre a estrutura organizacional da Rede de Atenção em Saúde Mental no Brasil foi efetuada uma busca online nas bases de dados SciELO e LILACS no sítio da Biblioteca Virtual em Saúde, entre os meses de março a abril de 2016, correspondentes ao período de janeiro 2011 a abril de 2016. Para tanto, foram utilizados como descritores: saúde mental, serviços de saúde mental, assistência em saúde mental. Resultados: Foram elencados 94, dos quais 15 foram selecionados e analisados. Para a apresentação dos resultados foi elaborado um quadro com os seguintes dados: ano de publicação, nome do periódico, nome dos autores, título do artigo e nível de evidência. A partir da análise emergiram dois eixos temáticos: reforma psiquiátrica; rede organizacional e fluxo dos serviços. Discussão: No primeiro eixo, verificaram-se mudanças na atenção em saúde mental com a Reforma Psiquiátrica. No segundo eixo, entendeu-se a importância da implementação dos serviços substitutivos. Conclusão: Este estudo possibilitou o entendimento da organização estrutural dos serviços de saúde mental, nos últimos cinco anos, delineando os avanços que ocorreram. Isso porque os serviços estão conectados com as propostas advindas da Reforma Psiquiátrica, proporcionando ao indivíduo em sofrimento psíquico possibilidade do convívio em sociedade.

Palavras-chave

Saúde mental; Desinstitucionalização; Serviços de saúde mental; Assistência em saúde mental; Estrutura dos serviços.

Texto completo:

PDF