CRIANÇAS EM TERMINALIDADE NA PERSPECTIVA DE CUIDADOS PALIATIVOS: PERCEPÇÃO DOS ENFERMEIROS

Barbara Duarte Néris, Beatriz Molina Carvalho, Rayane Becchi dos Santos, Raquel Matioli Vieira, Mauren Teresa Grubisch Mendes Tacla

Resumo

Objetivo: desvelar a percepção de enfermeiros quanto aos cuidados paliativos pediátricos. Materiais e Método: estudo exploratório de abordagem qualitativa, sendo entrevistadas oito enfermeiras de um hospital universitário do norte do Paraná, no mês de maio de 2012, empregando um instrumento de caracterização e posteriormente aplicado um roteiro de entrevista semiestruturada. Utilizada a técnica de análise de conteúdo de Bardin. Foi trabalhado com banco de dados de entrevistas realizadas em pesquisa anterior, após autorização do Comitê de Ética em Pesquisa Envolvendo Seres Humanos da instituição – CAAE nº 0298.0.268.000-11. Resultados: os relatos destacaram a importância dada a cuidados específicos como conforto, alívio da dor e higiene, porém a maioria demonstrou uma percepção de cuidado mais ampla com as crianças em estado de terminalidade. Revelou-se a importância do apoio aos familiares, e como a realidade difere do que é idealizado nas universidades, dificultando a prática desse cuidado nas rotinas dos hospitais. Conclusão: a morte de crianças provoca nos profissionais de enfermagem inúmeros sentimentos de fragilidade, com isso, observa-se a necessidade da reavaliação dos planos curriculares e de treinamentos das instituições de ensino e serviço, garantindo a esses profissionais uma melhor formação e apoio para lidar com a criança em cuidados paliativos.

Palavras-chave

Enfermagem Pediátrica; Cuidados Paliativos; Estado Terminal

Texto completo:

PDF