DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DO PULGÃO EM ALGODOEIRO E CÁLCULO DO NÚMERO DE AMOSTRAS

Autores

  • João Gutemberg Leite Moraes
  • Jefté Ferreira da Silva
  • Gleidson Vieira Marques
  • Ervino Bleicher

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v6i3.16086

Palavras-chave:

Gossypium hirsutum, Distribuição de insetos, Amostragem.

Resumo


Realizou-se a presente pesquisa com o objetivo de estudar a distribuição espacial do pulgão e estabelecer o número de amostras necessárias para aplicação em MIP. Utilizou-se 20 parcelas de 2m x 2m, contendo até 16 plantas da cultivar BRS Aroeira, onde avaliou-se o número de colônias de pulgões, semanalmente. Os índices de agregação (IA) utilizados foram: razão/variância média (I), Morisita (Iδ), Green (Cx) e expoente k da Binomial Negativa. Verificou-se pelos IA, que o A. gossypii possui distribuição agregada. O modelo matemático que melhor explicou a dispersão do pulgão foi o da binomial negativa. O número de amostras de A. gossypii sugeridas para o MIP do algodoeiro é cinquenta, tomando-se como unidade amostral a primeira folha expandida do ápice.

Downloads

Publicado

01-10-2017

Como Citar

MORAES, J. G. L.; SILVA, J. F. da; MARQUES, G. V.; BLEICHER, E. DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DO PULGÃO EM ALGODOEIRO E CÁLCULO DO NÚMERO DE AMOSTRAS. Acta Iguazu, [S. l.], v. 6, n. 3, p. 91–97, 2017. DOI: 10.48075/actaiguaz.v6i3.16086. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/16086. Acesso em: 27 jan. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS