Educação física escolar e a promoção da saúde: um ponto de vista

Autores

  • Cláudio Delunardo Severino
  • Bianca Maria Silva

Palavras-chave:

Obesidade, Educação Física, Atividade Física, Escola.

Resumo


A obesidade é considerada um grave problema de saúde e a Educação Física em ambiente escolar pode contribuir para a conscientização, por parte dos alunos, da importância da prática de atividades físicas como promoção da qualidade de vida. A presente pesquisa tem como objetivo abordar aspectos relacionados à contribuição da Educação Física escolar como uma prática que possa ser entendida como uma possibilidade de prevenção à obesidade de crianças e jovens inseridas em tal contexto, promovendo desta forma a manutenção da saúde. A pesquisa permitiu concluir que o papel do professor de Educação Física na instituição escolar não se limita em apenas transmitir o conteúdo proposto nas aulas, mas também conscientizar ao corpo discente sobre a importância de inserir no seu cotidiano atividades físicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABBES, P. T.; LAVRADOR, M. S. F.; ESCRIVÃO, M. A. M. S.; TADDEI, J. A. A. C. Sedentarismo e variáveis clínico-metabólicas associadas à obesidade em adolescentes. Revista de Nutrição, Campinas, v. 24, n. 4, p. 529-38, 2011.

AGUIAR, I. E. Obesidade: uma alteração física indesejada. Caderno de Educação Física, Marechal Cândido Rondon, v. 2, n. 1, p. 55-63, 2000.

ALMEIDA, D. I. M. Obesidade infantil: comparação e prevalência entre escolas particulares e públicas. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, São Paulo, v. 3, n. 13, p. 35-40, 2009.

ALVES, U. S. Não ao sedentarismo, sim à saúde: contribuições da Educação Física escolar e dos esportes. O Mundo da Saúde, São Paulo, v. 31, n. 4, p. 464-9, 2007.

ASSIS, S. Reinventando e esporte: possibilidades da prática pedagógica. 3 ed. Campinas: Autores Associados, 2010.

BALAN, V., MARINESCU, G.; TICALA, L.; SHAAO, M. Physical education longlife learning factor. Procedia Social and Behavioral Sciences, Amsterdã, v. 46, p. 1328-32, 2012.

BARBIERI, A. F.; MELLO, R. A. As causas da obesidade: uma análise sob a perspectiva materialista histórica. Conexões, Campinas, v. 10, n. 1, p. 133-53, 2012.

BARBOSA, C. L. A. Educação física escolar: as representações sociais. Rio de Janeiro: Shape, 2001.

CAMLIGUNEY, A. F.; MENGUTAY, S.; PEHLIVAN, A. Differences in physical activity levels in 8–10-year-old girls who attend physical education classes only and those who also regularly perform extracurricular sports activities. Procedia Social and Behavioral Sciences, Amsterdã, v. 46, p. 4708-12, 2012.

CZERESNIA, D. O conceito de saúde e a diferença entre prevenção e promoção. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 15, n. 4, p. 701-9, 1999.

DARIDO, S. C. Educação física na escola: questões e reflexões. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

DARIDO, S. C. Educação física e temas transversais na escola. Campinas: Papirus, 2012.

FIGUEIREDO, T. A. M.; MACHADO, V. L. T.; ABREU, M. M. S. A saúde na escola: um breve resgate histórico. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 2, p. 397-402, 2010.

GUEDES, D. P.; GUEDES, J. E. R. P. Prevalência de sobrepeso e obesidade em crianças e adolescentes do município de Londrina (PR). Motriz, Rio Claro, v. 4, n. 1, p. 18-25, 1998.

GUEDES, D. P.; GUEDES, J. E. R. P. Educação para a saúde mediante programas de educação física escolar. Motriz, Rio Claro, v. 5, n. 1, p. 10-4, jun., 1999.

HAYWOOD, K. M.; GETCHELL, N. Desenvolvimento ao longo da vida. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

IGLESIAS, A.; DALBELLO-ARAÚJO, M. As concepções de promoção da saúde e suas implicações. Cadernos Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 291-8, 2011.

KRUG, R. R.; MARCHESAN, M.; ACOSTA, M. A. A contribuição da educação física escolar para um estilo de vida ativo. Revista Linhas, Florianópolis, v. 13, n. 2, p. 200-14, 2012.

LAZZOLI, J. K. et al. Atividade física e saúde na infância e adolescência. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 4, n. 4, p. 107-9, 1998

LEÃO, L. S. C. S.; ARAÚJO, L. M. B.; MORAES, L. T. L. P.; ASSIS, A. M. Prevalência de obesidade em escolares de Salvador, Bahia. Arquivo Brasileiro de Endocrinologia e Metabologia, São Paulo, v. 47, n. 2, p. 151-157, 2003.

MONTEIRO, A. M. P.; NAVARRO, A. C. Prevalência de obesidade em crianças e adolescentes do ensino fundamental numa cidade do interior de Minas Gerais. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, São Paulo, v. 5, n. 28, p. 272-6, 2011.

MONTENEGRO NETO, A. N.; SIMÕES, M. O. D. S.; MEDEIROS, A. C. D.; PORTELA, A. D. S.; SOUZA, A. M. Obesidade, envelhecimento e risco cardiovascular no Brasil: possíveis soluções para problemas atuais. Saúde.com, Vitória da Conquista, v. 4, n. 1, p. 57-63, 2008.

NAHAS, M. V. Atividade física, saúde e qualidade de vida. 6 ed. Londrina: Midiograf, 2013.

RIBEIRO BAPTISTA, T. J.; DA CRUZ, A. M. Obesidade: saúde, doença e efeitos do treinamento. Pensar a Prática, Goiânia, v. 7, n. 1, p. 103-20, 2006.

RIGO, L. C.; SANTOLIN, C. B. Combate à obesidade: uma análise da legislação brasileira. Movimento, Porto Alegre, v. 18, n. 2, p. 279-96, 2012.

SALVE, M. G. C. Obesidade e peso corporal: riscos e consequências. Movimento e Percepção, Espírito Santo do Pinhal, v. 6, n. 8, p. 29-48, 2006.

SANTOS, A. L.; CARVALHO, A. L.; GARCIA JÚNIOR, J. R. Obesidade infantil e uma proposta de educação física preventiva. Motriz, Rio Claro, v. 13, n. 3, p. 203-13, 2007.

SILVA, K. S.; NAHAS, M. V.; HOEFELMANN, L. P.; LOPES, A. D. S.; OLIVEIRA, E. S. D. Associações entre atividade física, índice de massa corporal e comportamentos sedentários em adolescentes. Revista Brasileira de Epidemiologia, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 159-68, 2008.

Downloads

Publicado

16-03-2016

Como Citar

SEVERINO, C. D.; SILVA, B. M. Educação física escolar e a promoção da saúde: um ponto de vista. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 12, n. 2, p. 77–86, 2016. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/12742. Acesso em: 5 dez. 2021.