Perfil do Personal Trainer e sua percepção sobre a avaliação física antes de iniciar um programa de treinamento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36453/cefe.2022.27401

Palavras-chave:

Personal Trainer, Perfil profissional, Avaliação física.

Resumo


INTRODUÇÃO: O exercício físico (EF) é hoje fonte primária na busca por maior qualidade de vida e saúde, combatendo o sedentarismo e trazendo benefícios relacionados à sua prática. O EF regular pode atuar reduzindo o desenvolvimento de doença coronariana, acidente vascular cerebral, diabetes, dislipidemia, síndrome metabólica e hipertensão. Além disso, promove a perda da massa gorda, desenvolve a aptidão cardiorrespiratória, a força e resistência muscular, atua na redução de depressão e melhora as funções cognitivas. Porém muitas pessoas não conseguem aderir a um programa de EF sem o auxílio do Personal Trainer, que é um profissional de Educação Física (PEF) responsável pelo treinamento individualizado e também por avaliar/reavaliar as condições de saúde dos indivíduos a fim de propor EF adequado.
OBJETIVO: Avaliar o perfil do Personal Trainer na cidade de Divinópolis e a importância da avaliação física primária de seus alunos.
MÉTODOS: Estudo transversal com 40 PEF, idade média de 33,7±7,52 anos que atuavam como Personal Trainer. Foi aplicado um questionário previamente estruturado, com 24 perguntas elaboradas pelos autores. Na análise dos dados, foi realizada a estatística descritiva, média e desvio padrão, utilizando o programa Microsoft Office Excel.
RESULTADOS: Dentre os pesquisados, 67,5% (n=27) eram mulheres, 50% (n=20) estão no mercado a mais de 10 anos e apenas 45% (n=18) possuem especialização. Quanto a avaliação física antes do início do treinamento, 95% (n=38) dos profissionais exigem ou fazem a avaliação e 85% (n=34) vê grande importância e procura fazer uma avaliação completa e detalhada.
CONCLUSÃO: Os profissionais atuam no seguimento há mais de 10 anos, atendem um público diversificado, têm as academias como principal local de atuação e possuem parcerias com outros profissionais da saúde. A maioria dos participantes consideram a avaliação física primária dos seus alunos de suma importância e a realizam antes do início dos treinamentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARROS, J. M. C. Educação física na sociedade brasileira atual e a regulamentação da profissão. Motriz, Rio Claro, v. 6, n. 2, p. 107-9, 2000.

CARLINI JUNIOR, R. J.; SILVA, S. A. da; BATISTA, S. A.; SILVA, E. J. da. Benefícios da prática de exercícios resistidos na prevenção de quedas em idosos: uma revisão sistemática. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 19, n. 2, p. 85-91, 2021. DOI: <https://doi.org/10.36453/cefe.2021.n2.26964>.

CARMELI, E.; COLEMAN, R.; REZNICK, A. Z. The biochemistry of aging muscle. Experimental Gerontology, Oxford, v. 37, n. 4, p. 477-89, 2002. DOI: <https://doi.org/10.1016/s0531-5565(01)00220-0>.

CASTRO, S. C. O perfil do cliente do profissional de Educação Física que atua como personal trainer na região metropolitana de Belo Horizonte. 2009. 46f. TCC (Bacharelado em Educação Física) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

COSTA, F. F. Novas diretrizes curriculares para os cursos de graduação em Educação Física: oportunidades de aproximações com o SUS? Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, Londrina, v. 24, e0067, 2019. DOI: <https://doi.org/10.12820/rbafs.24e0067>.

DOMINGUES FILHO, L. A. Manual do personal trainer brasileiro. São Paulo: Ícone, 2006.

FERREIRA, L. K.; MEIRELES, J. F. F.; FERREIRA, M. E. C. Avaliação do estilo e qualidade de vida em idosos: uma revisão de literatura. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 21, p. 616-27, 2018. DOI: <https://doi.org/10.1590/1981-22562018021.180028>.

GHORAYEB, N.; STEIN, R.; DAHER, D. J.; SILVEIRA, A. D.; OLIVEIRA FILHO, J. A.; RITT, L. E. F.; SANTOS, D. F. P.; ... ; VITAL, R. Atualização da Diretriz em Cardiologia do Esporte e do Exercício da Sociedade Brasileira de Cardiologia e da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e Esporte-2019. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, São Paulo, v. 112, p. 326-68, 2019. DOI: <https://dx.doi.org/10.5935/abc.20190048>.

HALLAL, P. C.; ANDERSEN, L. B.; BULL, F. C.; GUTHOLD, R.; HASKELL, W.; EKELUND, U. Global physical activity levels: surveillance progress, pitfalls, and prospects. The Lancet, London, v. 380, n. 9838, p. 247-57, 2012. DOI: <https://doi.org/10.1016/s0140-6736(12)60646-1>.

KAPTEYN, A.; BANKS, J.; HAMER, M.; SMITH, J. P.; STEPTOE, A.; VAN SOEST, A.; ... ; WAH, S. H. What they say and what they do: Comparing physical activity across the USA, England and The Netherlands. Journal of Epidemiology & Community Health, London, v. 72, n. 6, p. 471-6, 2018. DOI: <https://dx.doi.org/10.1136/jech-2017-209703>.

KATCH, F. I.; KATCH, V.; MCARDLE, W. D. Fisiologia do exercício: energia, nutrição e desempenho humano, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

MACIEL, C. M. L. A.; VIEIRA, G. M. A.; FERNADES, C. T.; HARDIMAM JUNIOR, A. Percepção de Graduandos no Bacharelado em Educação física e profissionais atuantes acerca da gestão de carreira e visão social do personal trainer. Revista de Ensino, Educação e Ciências Humanas, Londrina, v. 18, n. 4, p. 363-71, 2017. DOI: <https://doi.org/10.17921/2447-8733.2017v18n4p363-371>.

MARINS, J. C. B.; GIANNICHI, R. S. Avaliação e prescrição de atividade física: guia prático. Rio de Janeiro: Shape, 1998.

MATSUDO, S. M.; MATSUDO, V. K. R.; DE BARROS NETO, T. L. Impacto do envelhecimento nas variáveis antropométricas, neuromotoras e metabólicas da aptidão física. Revista Brasileira de Ciências e Movimento, São Paulo, v. 8, n. 4, p. 21-32, 2000.DOI: <http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v8i4.372>.

MONTEIRO, A. G. Treinamento personalizado: uma abordagem didático-metodológica. 3. ed. São Paulo: Phorte, 2006.

PIERCY, K. L.; TROIANO, R. P.; BALLARD, R. M.; CARLSON, S. A.; FULTON, J. e.; GALUSKA, D. A.; ... ; OLSON, R. D. The physical activity guidelines for Americans. Journal of American Medical Association, Chicago, v. 320, n. 19, p. 2020-8, 2018. DOI: <http://dx.doi.org/10.1001/jama.2018.14854>.

PINHEIRO, D. R. V. O perfil do personal trainer na perspectiva de um treinamento físico orientado para saúde, estética e esporte. 2000. 169f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Motricidade Humana) - Universidade Castelo Branco, Rio de Janeiro, 2000.

PITANGA, F. J. G. (Org.). Orientações para avaliação e prescrição de exercícios físicos direcionados à saúde. São Paulo: CREF4/SP, 2019.

POSADZKI, P.; PIEPER, D.; BAJPAI, R.; MAKARUK, H.; KONSGEN, N.; NEUHAUS, A. L.; SEMWAL, M. Exercise/physical activity and health outcomes: an overview of Cochrane systematic reviews. BMC Public Health, London, v. 20, p. 1724, 2020. DOI: <http://dx.doi.org/10.1186/s12889-020-09855-3>.

RIEBE, D.; FRANKLIN, B. A.; THOMPSON, P. D.; GARBER, C. E.; WHITFIELD, G. P.; MAGAL, M.; PESCATELLO, L. S. Updating ACSM’s recommendations for exercise preparticipation health screening. Medicine and Science in Sports and Exercise, Madison, v. 47, n. 11, p. 2473-9, 2015. DOI: <https://doi.org/10.1249/mss.0000000000000664>.

SANTOS, P. V. R.; NASCIMENTO, O. V. O personal trainer: estratégias de marketing para retenção de clientes. Revista Campo do Saber, Cabedelo, v. 4, n. 2, p. 16-31, 2018. Disponível em: <https://periodicos.iesp.edu.br/index.php/campodosaber/article/download/229/196>.

SILVA, J. C. O universo sócio cultural dos jovens acadêmicos do curso de Educação Física da UnirG: Estratégias e perspectivas de profissionalização. 2008. 105f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiás, 2008.

SILVA, J. H. D.; SILVA, A. C.; TRIANI, F. S.; TELLES, S. C. C.; LÜDORF, S. M. A. Aspectos involucrados en la contratación y mantenimiento de un entrenador personal: capitales en juego. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 44, e010321, 2022. DOI: <https://doi.org/10.1590/rbce.44.e010321>.

SILVA TEOTONIO, J.; BAIA, F. C.; TEIXEIRA, C. L. S.; ROMANHOLO, R. A.; PEREIRA, J. E. Perfil dos personal trainers atuantes na cidade de Cacoal Rondônia - Brasil. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v. 8, n. 50, p. 855-63, 2014. Disponível em: <http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/719/660>.

SOUZA, M. T. S.; DRUMMOND, L. R.; SALGADO, J. V. V. Procura pelo treinamento personalizado e fidelização: um estudo com clientes de personal trainer nas academias de Divinópolis - MG. Revista Brasileira Ciência e Movimento, São Paulo, v. 27, n. 4, p. 199-206, 2019. DOI: <http://dx.doi.org/10.31501/rbcm.v27i4.10246>.

VERAS, R. P.; OLIVEIRA, M. Envelhecer no Brasil: a construção de um modelo de cuidado. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 23, p. 1929-36, 2018. DOI: <https://doi.org/10.1590/1413-81232018236.04722018>.

WHO. World Health Organization. WHO guidelines on physical activity and sedentary behaviour: at a glance. World Health Organization, 2020. Disponível em: <https://apps.who.int/iris/rest/bitstreams/1318299/retrieve>.

Downloads

Publicado

04.07.2022

Como Citar

CASTRO, J. P. G. de; SANTOS, A. S. dos; DRUMMOND, L. R.; SALGADO, J. V. V. Perfil do Personal Trainer e sua percepção sobre a avaliação física antes de iniciar um programa de treinamento. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 20, p. e–27401, 2022. DOI: 10.36453/cefe.2022.27401. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/27401. Acesso em: 19 ago. 2022.