Práticas corporais e saúde: algumas contribuições da medicina tradicional chinesa para o contexto brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36453/cefe.2022.28260

Palavras-chave:

Prática Corporal., Medicina Tradicional Chinesa., Saúde Humana., Qigong.

Resumo


OBJETIVO: Este ensaio apresenta algumas particularidades e contribuições da medicina tradicional chinesa e das suas práticas corporais terapêuticas para o contexto brasileiro. O objetivo é expor os benefícios e as potencialidades da concepção de movimento corporal presentes nas práticas corporais terapêuticas associadas a medicina tradicional chinesa, sobretudo no qigong e sua escola do wuqinxi. 
DESENVOLVIMENTO: Trata-se de um ensaio cuja base teórica defende o argumento de que o qigong se baseia numa concepção de movimento que não se atrela ao princípio do esforço e esgotamento físico, apresentando uma concepção de prática corporal terapêutica mais adequada ao contexto da saúde. O trabalho originou as seguintes categorias de análise e discussão: 1 - Medicina tradicional chinesa e prática corporal, que expõe algumas especificidades da maneira como está racionalidade médica aborda o corpo, a saúde e a prática corporal; 2 - Práticas corporais da medicina tradicional chinesa, que apresenta algumas noções, técnicas e contribuições dos exercícios corporais de taijiquan e qigong no contexto da saúde humana; 3 - O jogo dos cinco animais, que exibe alguns princípios e benefícios da prática corporal wuqinxi de qigong; 4 - Contribuição da medicina tradicional chinesa para o campo das práticas corporais, que expõe uma concepção de prática corporal que não se compatibiliza com o princípio do esforço e esgotamento físico; 5 - Fatores favoráveis para aplicabilidade do qigong, que destaca as principais vantagens da utilização desta técnica nos espaços de saúde pública no Brasil. 
CONCLUSÃO: A medicina tradicional chinesa e as suas práticas corporais terapêuticas apresentam técnicas e princípios que podem colaborar para uma maneira particular de lidar com o corpo e com o cuidado através do movimento. Portanto, é oportuno o fomento destas práticas no contexto da saúde pública, a fim de contribuir com a promoção da saúde da população brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gilbert de Oliveira Santos, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucurí (UFVJM), Diamantina

Departamento de Educação Física da UFVJM

Referências

ACEVEDO, W.; GUTIÉRREZ, C.; CHEUNG, M. Breve história do Kung Fu. São Paulo: Madras, 2011.

ASSIS, W.; BRITTO, F. R.; VIEIRA, L. de O.; SANTOS, E. S. dos; BOERY, R. N. S. de O.; DUARTE, A. C. S. Novas formas de cuidado através das práticas integrativas no Sistema Único de Saúde. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, Fortaleza, v. 31, n. 2, p. 1-6, 2018. DOI: https://doi.org/10.5020/18061230.2018.7575.

AVELANS, T. S. C. Efeitos cognitivos e comportamentais do qigong em estudantes: uma revisão sistemática da literatura. 2017. 70f. Dissertação (Mestrado em Medicina Tradicional Chinesa) - Universidade do Porto, Porto, 2017. Disponível em: <https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/110473/2/248622.pdf>. Acessado em: 05 de fevereiro de 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2006a. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_promocao_saude_3ed.pdf> Acessado em: Acessado em: 03 de outubro de 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 971, de 03 de maio de 2006. Dispõe sobre a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2006b. Seção 1. Disponível em: <http://www.crbm1.gov.br/Portaria%20MS%20971%202006.pdf>. Acessado em: 03 de outubro de 2021.

CHENG, A. História do pensamento chinês. Petrópolis: Vozes, 2008.

CHINESE HEALTH QIGONG ASSOCIATION. Wu Qin Xi: Five-Animal Qigong Exercises. London: Singing Dragon, 2008.

CONTATORE, O. A.; TESSER, C. D. Medicina tradicional chinesa/acupuntura. In: TESSER, C. D. (Org.). Medicinas complementares: o que é necessário saber (homeopatia e medicina tradicional chinesa/acupuntura). São Paulo: UNESP, 2010. p. 119-200.

GRANET, M. O pensamento chinês. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

HAIMING, W. El pensamiento filosófico chino. Series de China Cultural. Beijing: China Intercontinental Press, 2011.

HSUAN-AN, T. Ideogramas e a cultura chinesa. São Paulo: É Realizações, 2006.

HU, J.; YANG, J. Human body’s health function improvement by various whole-body sports exercises. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Ribeirão Preto, v. 27, n. 3, p. 270-3, 2021. DOI: <https://doi.org/10.1590/1517-8692202127032021_0107>.

HUSTON, P.; MCFARLANE, B. Health benefits of tai chi: What is the evidence? Canadian Family Physician, Mississauga, v. 62, n. 11, p. 881-890, 2016. Disponível em: <https://www.cfp.ca/content/62/11/881.long>.

JUAN, H. X.; BO, Y. Tai chi. Beijing: Time Publishing and Media, 2011.

LAZZARI, F. Tai chi chuan: saúde e equilíbrio. Ribeirão Preto: São Gabriel, 2009.

LEE, M. L. Lian Gong em 18 terapias: forjando um corpo saudável. São Paulo: Pensamento, 1997.

LUZ, D. Medicina tradicional chinesa, racionalidade médica. In: Nascimento, M. C. As duas faces da montanha: estudos sobre medicina chinesa e acupuntura. São Paulo: Hucitec, 2006. p. 83-141.

LUZ, T. M. Cultura contemporânea e medicinas alternativas: novos paradigmas em saúde no fim do século XX. Physis, Rio de Janeiro, v. 15, n. supl., p. 145-76, 2005. DOI: <https://doi.org/10.1590/S0103-73311997000100002>.

MARTINS, D. A.; SANTOS, G. de O. Práticas Integrativas em Saúde: o Autoconhecimento através do Shiatsu e do Tai Chi Chuan. In: HEMMI, A. P.; MÁXIMO, G.; BARROSO, H. H.; TENUTA, N. (Orgs.). Perspectivas da saúde coletiva no Vale do Jequitinhonha: temas, debates e reflexões. Curitiba: Brazil Publishing, 2020. p. 395-407.

PICH, S. Cultura corporal de movimento. In: GONZÁLEZ, F. J.; FENSTERSEIFER, P. E. (Orgs.). Dicionário crítico de educação física. Ijuí: Unijuí, 2014. p. 163-5.

SANTOS, G. de O. Relato de experiência com o ensino de práticas e técnicas corporais terapêuticas na formação profissional em educação física em Diamantina - MG. Horizontes, Dourados, v. 9, n. 16, p. 1-18, 2020. DOI: <https://doi.org/10.30612/hre.v9i16.10654>.

SANTOS, G. de O.; BRAGANÇA, A. P. G. O estudo e a prática do tai chi chuan: a busca de si através do gesto. Extramuros. Petrolina, v. 6, n. 2, p. 37-51, 2018. Disponível em: <https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/extramuros/article/view/898/648>.

SILVA, A. M.; LAZZAROTTI FILHO, A.; ANTUNES, P. de C. Práticas corporais. In: GONZÁLEZ, F. J.; FENSTERSEIFER, P. E. (Orgs.). Dicionário crítico de educação física. Ijuí: Unijuí, 2014. p. 522-8.

TONETI, B. F.; BARBOSA, R. F. M.; MANO, L. Y.; SAWADA, L. O.; OLIVEIRA, I. G.; SAWADA, N. O. Benefícios do Qigong como prática integrativa e complementar para a saúde: revisão sistemática. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 28, p. 1-12, 2020. DOI: <https://doi.org/10.1590/1518-8345.3718.3317>.

TSANG, H. W. H.; CHEUNG, L.; LAK. D. C. C. Qigong as a psychosocial intervention for depressed elderly with chronic physical illnesses. International Journal of Geriatric Psychiatry, New York, v. 17, n. 12, p. 1146-54, 2002. DOI: <https://doi.org/10.1002/gps.739>.

VAZ, A. F. Treinar o corpo, dominar a natureza: notas para uma análise do esporte com base no treinamento corporal. Cadernos CEDES, São Paulo, v. 19, n. 48, p. 89-108, 1999. DOI: <https://doi.org/10.1590/S0101-32621999000100006>.

VISHNIVETZ, B. Eutonia: educação do corpo para o ser. São Paulo: Summus, 1995.

YUQUN, L. Traditional chinese medicine: understanding its principles and practices. Beijing: China Intercontinental Press, 2010.

ZOU, L.; ZHANG, Y.; SASAKI, J. E.; YEUNG, A. S.; YANG, L.; LOPRINZI, P. D.; … ; MAI, Y. Wuqinxi Qigong as an alternative exercise for improving risk factors associated with metabolic syndrome: A meta-analysis of randomized controlled trials. International Journal of Environmental Research and Public Health. Basiléia, v. 16, n. 8, p. 1-15, 2019. DOI: <https://doi.org/10.3390/ijerph16081396>.

Downloads

Publicado

16.03.2022

Como Citar

SANTOS, G. de O. Práticas corporais e saúde: algumas contribuições da medicina tradicional chinesa para o contexto brasileiro. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 20, p. e–28260, 2022. DOI: 10.36453/cefe.2022.28260. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/28260. Acesso em: 19 ago. 2022.