MODOS DE NARRAR A CIÊNCIA NOS CONTEXTOS INTERNACIONAL E BRASILEIRO: PROFICIÊNCIA ESCRITA EM LÍNGUA INGLESA PARA A PRODUÇÃO DE ABSTRACTS EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

Autores

  • Ana Luiza Pires de Freitas
  • Maria José Bocorny Finatto

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v13i29.16199

Palavras-chave:

Proficiência Escrita, Inglês Especializado, Linguística de Corpus

Resumo


Este artigo aborda o desenvolvimento da proficiência escrita brasileira em língua inglesa para produção de abstracts, em Ciências da Saúde. Relata-se um estudo que reuniu, descreveu e analisou um corpus de 180.170 palavras, em Medicina, Nutrição e Farmácia, à luz da Linguística de Corpus, Linguística das Linguagens Especializadas e de English for Academic Purposes. Os pacotes lexicais, sequências recorrentes de palavras empregadas nos textos, foram a unidade de análise. Com base em frequência e variabilidade lexical, constataram-se distinções nos modos de narrar a ciência entre as partes brasileira e internacional do corpus. Os achados realçam a importância do ensino a partir da ênfase nos diferentes contextos de produção de texto em saúde. Por fim, evidencia-se como os elementos da pesquisa podem ser aproveitados para criar um ambiente virtual de aprendizagem.

Downloads

Publicado

01-06-2017

Como Citar

PIRES DE FREITAS, A. L.; FINATTO, M. J. B. MODOS DE NARRAR A CIÊNCIA NOS CONTEXTOS INTERNACIONAL E BRASILEIRO: PROFICIÊNCIA ESCRITA EM LÍNGUA INGLESA PARA A PRODUÇÃO DE ABSTRACTS EM CIÊNCIAS DA SAÚDE. Trama, [S. l.], v. 13, n. 29, p. 24–59, 2017. DOI: 10.48075/rt.v13i29.16199. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/16199. Acesso em: 22 maio. 2022.

Edição

Seção

Ensino de Línguas Estrangeiras e de Literaturas Estrangeiras