NO TEMPO DOS SONHOS: A PRESENÇA DA INTERTEXTUALIDADE NA CONSTRUÇÃO DE UMA NARRATIVA FICCIONAL

Autores

  • Margarete Jesusa Hülsendeger Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Humanidades

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v13i30.16660

Palavras-chave:

Intertextualidade, tempo, conto.

Resumo


No livro Sonhos de Einstein (2014), o físico, escritor e ensaísta Alan Lightman, escreve um conjunto de pequenos contos apresentando trinta diferentes mundos, nos quais o tempo é o personagem principal. Os mundos criados por Alan Lightman não estão identificados por nomes, mas por datas, abrangendo um período de dois meses – de 14 de abril até 28 de junho – de um mesmo ano, 1905. Esse recorte temporal só tem sentido para quem conhece o protagonista do que Lightman chamou “Interlúdios” – breves textos intercalados entre os contos –, o físico alemão Albert Einstein. Portanto, neste artigo foram analisados alguns desses mundos, procurando na apresentação dos contos estabelecer relações não só com outras obras artísticas, mas também com ideias oriundas da ciência e da filosofia, demonstrando que todos os textos estão ligados de alguma forma.

Biografia do Autor

Margarete Jesusa Hülsendeger, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Escola de Humanidades

Mestra em Educação em Ciências e Matemática/PUCRS

Mestra em Teoria da Literatura/PUCRS

Doutoranda em Teoria da Literatura/PUCRS (CAPES)

Downloads

Publicado

20-10-2017

Como Citar

HÜLSENDEGER, M. J. NO TEMPO DOS SONHOS: A PRESENÇA DA INTERTEXTUALIDADE NA CONSTRUÇÃO DE UMA NARRATIVA FICCIONAL. Trama, [S. l.], v. 13, n. 30, p. 44–58, 2017. DOI: 10.48075/rt.v13i30.16660. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/16660. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Temas Livre