O CONFRONTO POLÍTICO-IDEOLÓGICO EM O GATO E A REVOLUÇÃO, DE ALCY CHEUICHE

Autores

  • Lucas da Cunha Zamberlan Universidade Federal de Santa Maria
  • Deivis Jhones Garlet Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v13i30.16672

Palavras-chave:

Ideologia, ditadura, Alcy Cheuiche, literatura.

Resumo


A novela O gato e a revolução, de Alcy Cheuiche, foi publicada em 1967 e, já no ano seguinte, depois de instituído o AI5, foi censurada e impedida de chegar aos leitores. Este trabalho pretende apresentar uma reflexão crítica sobre as funções sociais desempenhadas pelas diversas personagens na novela, destacando dois discursos notadamente perceptíveis no contexto de produção da obra e estetizados por meio dos enfrentamentos ideológicos apresentados nos diálogos da narrativa: a) o discurso comunista e b) o discurso reacionário. Para lograrmos êxito na nossa pesquisa, utilizamos uma abordagem metodológica que principiou pela fortuna crítica acerca do conceito de ideologia proposto por Eagleton em Marxismo e crítica literária e com o aporte teórico que considerou o modelo de análise literária proposta por Antonio Candido, na obra Literatura e Sociedade.

Biografia do Autor

Lucas da Cunha Zamberlan, Universidade Federal de Santa Maria

Professor Substituto do Departamento de Letras Vernáculas da Universidade Federal de Santa Maria, é, também, doutorando do Programa de Pós-Graduação em Letras da mesma instituição. Obteve o título de Mestre (2014) com a dissertação A velocidade e a simultaneidade na configuração fragmentada da urbe em Eles eram muitos cavalos, de Luiz Ruffato, transformada em livro e publicada pela Paco Editorial, de São Paulo, em julho de 2015. Atualmente desenvolve pesquisas na área de Literatura Comparada, com enfoque na relação entre a literatura, outras artes e mídias. Também participa como integrante do Grupo de Pesquisa Estudos sobre Intermidialidade II (CNPq/UFMG), coordenado por Thais Flores Nogueira Diniz e do Projeto de Pesquisa Pinturas descritas, pinturas da escrita:estudos sobre literatura, crítica e pintura, este último coordenado por André Soares Vieira, na UFSM. Áreas de interesse: Intermidialidade. Comparativismo. Literatura Modernista. Literatura Contemporânea.

Deivis Jhones Garlet, Universidade Federal de Santa Maria

Doutor em Letras, Estudos Literários, pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), com apoio de bolsa Capes. Titulado mestre em Letras, Estudos Literários, pela UFSM, também com apoio de bolsa Capes. Especialista em Pensamento Político Brasileiro e graduado em História, licenciatura plena, pela mesma instituição. Desenvolve pesquisa na área de literatura comparada, articulando literatura, história, filosofia e ciência política. Integra os grupos de pesquisa: Literatura e Autoritarismo, da UFSM, sob o projeto Escritas da vida: subjetividade e autoria, coordenado por Rosani Umbach; Mobilidade e Logística, coordenado por Alejandro Padillo. Trabalha com Literatura, História, Filosofia prática e Ciência Política. Áreas de interesse: Literatura comparada, literatura portuguesa, literatura e contextos autoritários, História, Política e Ética. Atualmente, é professor de cursos livres e Técnico em Assuntos Educacionais na UFSM - Cachoeira do Sul.

Downloads

Publicado

20-10-2017

Como Citar

ZAMBERLAN, L. da C.; GARLET, D. J. O CONFRONTO POLÍTICO-IDEOLÓGICO EM O GATO E A REVOLUÇÃO, DE ALCY CHEUICHE. Trama, [S. l.], v. 13, n. 30, p. 77–92, 2017. DOI: 10.48075/rt.v13i30.16672. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/16672. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Temas Livre