OS ASPECTOS DO DUPLO NO ROMANTISMO DE E. T. A. HOFFMANN

Autores

  • Ana Rosa Gonçalves De Paula GUIMARÃES Possui graduação em Psicologia pela Universidade de Franca (2009), licenciatura plena em Letras - Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa, pelo Centro Universitário Municipal de Franca (2011), especialista em Saúde Pública, pela Universidade de Franca (2011). Mestre em Psicologia, com ênfase em Psicanálise e Cultura, pela Universidade Federal de Uberlândia (2017). Artigos publicados, participações em Congressos e Simpósios. Interesses de atuação nas seguintes áreas: Psicologia Clínica e Social, pesquisa em Psicanálise e Literatura.

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v14i31.17100

Palavras-chave:

Romantismo, Hoffmann, Duplo, Sujeito.

Resumo


Este estudo propõe percorrer as manifestações do fenômeno do duplo enquanto marca pertinente ao Romantismo Alemão, ocorrido entre o final do século XVIII e meados do século XIX. O destaque aqui conferido ao escritor E. T. A. Hoffmann deve-se ao fato de sua grandiosidade enquanto romancista e destacado escritor da literatura romântica. Recorrendo constantemente aos desdobramentos do Eu em suas obras, revela a necessidade de que o angustiado homem romântico, cindido e fragmentado, por meio dos mecanismos da duplicidade pudesse encontrar consigo mesmo.

Biografia do Autor

Ana Rosa Gonçalves De Paula GUIMARÃES, Possui graduação em Psicologia pela Universidade de Franca (2009), licenciatura plena em Letras - Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa, pelo Centro Universitário Municipal de Franca (2011), especialista em Saúde Pública, pela Universidade de Franca (2011). Mestre em Psicologia, com ênfase em Psicanálise e Cultura, pela Universidade Federal de Uberlândia (2017). Artigos publicados, participações em Congressos e Simpósios. Interesses de atuação nas seguintes áreas: Psicologia Clínica e Social, pesquisa em Psicanálise e Literatura.

1. GUIMARÃES, A. R. G. P.. Amor, dor e gozo: sobre as manifestações culturais da tristeza, da melancolia e da depressão. Leitura Flutuante, v. 8, p. 13-31, 2016.2. GUIMARÃES, A. R. G. P.. O modo de funcionamento mental na sociedade hipermoderna. Revista de Psicanálise da Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre, v. 18, p. 115-134, 2016.3. GUIMARÃES, A. R. G. P.. O leitor e a leitura literária subjetiva: processos receptivos, emancipados e performáticos. Travessias (UNIOESTE. Online), v. 10, p. 45-58, 2016.4. GUIMARÃES, A. R. G. P.. As melancolias e as depressões: o biopoder, as produções de sentido e de discursos. Cadernos de Psicanálise (Círculo Psicanalítico/RJ), v. 38, p. 93-111, 2016.5. GUIMARAES, ANA ROSA GONÇALVES DE PAULA; PRÓCHNO, CAIO CÉSAR SOUZA CAMARGO . O homem romântico: o homem psicanalítico. Via Atlântica (USP), v. 2016, p. 429-446, 2016.6. GUIMARÃES, A. R. G. P.. Os elementos ultrarromânticos em Soares de Passos e em Álvares de Azevedo. Linguagens & Letramentos, v. 1, p. 1-19, 2016.

Downloads

Publicado

01-02-2018

Como Citar

GUIMARÃES, A. R. G. D. P. OS ASPECTOS DO DUPLO NO ROMANTISMO DE E. T. A. HOFFMANN. Trama, [S. l.], v. 14, n. 31, p. 49–60, 2018. DOI: 10.48075/rt.v14i31.17100. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/17100. Acesso em: 24 jan. 2022.

Edição

Seção

Estudos Culturais, Língua e Literatura Alemã