CONTEMPLAR O INVISÍVEL: o caminhar pela cidade em As vozes de Marrakech de Elias Canetti

Autores

  • Gabriela Gomes de OLIVEIRA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
  • Elcio Loureiro CORNELSEN UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v14i31.17775

Palavras-chave:

Elias Canetti, Caminhar pela cidade, Invisibilidade, Estranhamento.

Resumo


O presente artigo se propõe a fazer uma reflexão acerca do papel desempenhado pelos personagens invisíveis que figuram na narrativa de Elias Canetti. A cidade de Marrakech surge como o espaço mediador do caminhar do viajante que lança um olhar receptivo ao que lhe é heterogêneo, e se permite experienciar as mais várias sensações que o ato de observar o outro poderia proporcionar. Como suporte teórico principal para este texto foram escolhidos os trabalhos de Francesco Careri, Luis Alberto Brandão, Michel Foucault e Joan W. Scott.

Biografia do Autor

Gabriela Gomes de OLIVEIRA, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários da Faculdade de Letras da UFMG. Área de concentração: Literaturas Modernas e Contemporâneas

Elcio Loureiro CORNELSEN, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

Professor Associado IV da Faculdade de Letras da UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais, credenciado junto ao Programa de Pós Graduação em Estudos Literários. Área de concentração: Literatura Moderna Alemã, Literatura, História e Memória Cultural, e Literatura e outras Artes e Mídias. 

Downloads

Publicado

01-02-2018

Como Citar

OLIVEIRA, G. G. de; CORNELSEN, E. L. CONTEMPLAR O INVISÍVEL: o caminhar pela cidade em As vozes de Marrakech de Elias Canetti. Trama, [S. l.], v. 14, n. 31, p. 61–71, 2018. DOI: 10.48075/rt.v14i31.17775. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/17775. Acesso em: 24 jan. 2022.

Edição

Seção

Estudos Culturais, Língua e Literatura Alemã