O EFEITO DA PALAVRA NA CONSTRUÇÃO DA INTERFONOLOGIA RÓTICA PB-ELE

Autores

  • José Rodrigues de Mesquita NETO Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Clerton Luiz Felix BARBOZA Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v15i34.20476

Palavras-chave:

Vibrantes. Detalhe Fonético. Sistemas Adaptativos Complexos.

Resumo


Este trabalho tem como objetivo geral analisar o efeito da palavra na construção da interfonologia rótica envolvendo o PB e o ELE de professores de espanhol no Brasil. Temos como pergunta-problema: como a palavra influencia na construção da interfonologia rótica entre o português e o espanhol? Nossa hipótese básica afirma que a interfonologia será construída de modo diferente segundo as palavras, os sujeitos e os experimentos. Para a realização da pesquisa temos como base teórica a língua como SAC (BECKNER et al., 2009) e os modelos fonológicos multirepresentacionais: FU (BYBBE, 2001) e ME (PIERREHUMBERT, 2001). A metodologia é de cunho quali-quantitativo e corte transversal, traz como corpus o áudio de 770 tokens em que os róticos aparecem em diferentes contextos fonotáticos e em dois experimentos. Desse modo, verificamos que uma palavra com alto Índice de Realização Não-Padrão no experimento 1, pode aparecer com um baixo Índice no experimento 2. Assim, comprovando o comportamento dinâmico da língua.

 

REFERÊNCIAS

ALVARENGA, E. Metodología de la investigación cuantitativa y cualitativa. 5 ed. Asunción: Diseños. 2014.

BAICCHI, A. Construction learning as a complex adaptive system: psycholinguistic evidence from L2 learners of English.

BARBOZA, C. L.. Efeitos da palatalização das oclusivas alveolares do português brasileiro no percurso de construção da fonologia do inglês língua estrangeira. 2013. 165f. Tese (Doutorado em Linguística) – Curso de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.

BECKNER, et al. Language is a complex adaptive system: position paper. Language Learning, Michigan, v. 51, n. 1, p.1-26, Dec. 2009.

 BOERSMA, P., WEENIK, D. Praat: doing phonetics by computer. Version 5.1.43. Disponível em: http://www.praat.org. 2012.

BRISOLARA, L.; SEMINO, M. ¿Cómo pronunciar el español? La enseñanza de la fonética y la fonología para brasileños: Ejercicios prácticos. Campinas: Pontes Editores. 2014.

BYBEE, J. Phonology and language use. Cambridge: Cambridge University Press, 2001.

______. Usage-based grammar and second language acquisition. In: ROBINSON, Peter; ELLIS, Nick C. Handbook of cognitive linguistics and second language acquisition. New York: Routledge, 2008. p. 216-236.

______, Joan. Language, usage and cognition. Nova York: Cambridge. 2010.

CARVALHO, K. C. Descrição fonético-acústica das vibrantes no português e no espanhol. 2004. 213f. Tese (Doutorado em Letras) – Curso de Pós-Graduação em Letras, Universidade Estadual Paulista, Assis, 2004.

CRISTÓFARO-SILVA, T. Descartando fonemas: a representação mental na fonologia de uso. In: HORA, D. da; COLLISCHON, G. Teoria linguística: fonologia e outros temas. João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 2003. p. 200-231.

______. Fonologia probabilística: estudos de caso do português brasileiro. Lingua(gem), Macapá, v. 2, n. 2, p.223-248, 2005.

______. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. São Paulo: Contexto. 2013.

FERNÁNDEZ, J. Fonética para profesores de español: de la teoría a la práctica. Madrid: Arco/libros. 2007.

GOMES, A. S.. A vibrante múltipla espanhola em aprendentes de Espanhol como língua estrangeira na Bahia e em São Paulo: uma abordagem sociolinguística.  2013. 125f. Dissertação (Mestrado em Estudo de Linguagens) – Curso de Pós-Graduação em Estudo de Linguagens, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2013.

LARSEN-FREEMAN, D.; CAMERON, L. Complex systems and applied linguistics. Oxford: Oxford Universuty Press, 2008.

LEFFA, V. J. ReVEL na Escola: Ensinando a língua como um sistema adaptativo complexo. ReVEL, v. 14, n. 27, 2016 [www.revel.inf.br].

NAVARRO, T. Manual de pronunciación española. Madrid: CSIC, 1991.

PIERREHUMBERT, J. B. Exemplar dynamics: word frequency, lenition and contrast. In: BYBEE, Joan; HOPPER, P. (Comp.). Frequency and the emergence of linguistic structure. Amsterdam: John Benjamins, 2001. p. 137-158.

SILVA, K. C. Ensino-Aprendizagem do espanhol: O uso interlinguístico das vibrantes. 2007. 161f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Curso de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2007.

 

Recebido em 06-09-2018.

Aceito em 22-02-2019.

 

Biografia do Autor

José Rodrigues de Mesquita NETO, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

José Rodrigues de Mesquita Neto. Professor do Departamento de Letras Estrangeiras (DLE) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, campus Pau dos Ferros. Mestre em Linguística pela UNISAL e Mestre em Ciências da Linguagem pela UERN, campus central. Doutorando em Letras pela UERN/CAMEAM. E-mail: rodriguesmesquita@gmail.com.

Clerton Luiz Felix BARBOZA, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Clerton Luiz Felix Barboza. Professor do Departamento de Letras Estrangeiras da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, campus Central. Doutor em Linguística pela Universidade Federal do Ceará. E-mail: clertonluiz@gmail.com.

Downloads

Publicado

27-02-2019

Como Citar

MESQUITA NETO, J. R. de; FELIX BARBOZA, C. L. O EFEITO DA PALAVRA NA CONSTRUÇÃO DA INTERFONOLOGIA RÓTICA PB-ELE. Trama, [S. l.], v. 15, n. 34, p. 52–67, 2019. DOI: 10.48075/rt.v15i34.20476. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/20476. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Contribuições dos estudos de fonética e fonologia para o ensino