O FRENÉTICO COMPASSO DA VALSA NEGRA: ASPECTOS DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NO ROMANCE DE PATRÍCIA MELO

Autores

  • Ana Maria Soares ZUKOSKI Universidade Estadual de Maringá
  • André Eduardo TARDIVO Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Wilma dos Santos COQUEIRO Universidade Estadual do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v16i38.24089

Palavras-chave:

Crítica feminista, Relações abusivas, Masculinidade hegemônica

Resumo


O presente trabalho tem por objetivo apresentar uma análise interpretativa a respeito das particularidades da violência contra a mulher presentes no romance Valsa Negra (2003) de Patrícia Melo. Na obra, acompanhamos o narrador e protagonista em sua tentativa de controlar e objetificar sua nova esposa, Marie. Aos poucos, desnudam-se na obra inúmeros aspectos das mais variadas formas de violência contra a mulher: simbólica, doméstica e até mesmo física. Quanto mais inseguro o personagem se sente, maior o controle que tenta exercer sobre Marie, chegando a tomar medidas drásticas. À luz dos pressupostos teóricos da Crítica Feminista e dos Estudos de Gênero, abordados por pesquisadores/as como Bonnici (2007), Duarte (1997), Campos (1992), Muraro (1995), Nascimento, Gomes e Rebello (2009), discorremos sobre características do relacionamento abusivo que protagoniza a obra.

Referências

BÍBLIA SAGRADA. Tradução de Ivo Storniolo, Euclides Martins Balancin e José Luiz Gonzaga do Prado. São Paulo: Paulus, 1997. 1631 p. Velho Testamento e Novo Testamento.

BONNICI, T. Teoria e crítica literária feminista: conceitos e tendências. Maringá: Eduem, 2007.

CAMPOS, M. C. C. Gênero. In: JOBIM, José Luis (org.). Palavras da crítica. Rio de Janeiro: Imago, 1992.

DUARTE, C. L. O Cânone e a autoria feminina. Revista Tempo Brasileiro: As aporias do cânone. Rio de Janeiro, n. 129. Abril-junho de 1997, pp. 53-60.

FREYRE, G. Sobrados e Mucambos.12. ed. Rio de Janeiro: Record, 2000.

MELO, P. Valsa negra. Rio de Janeiro: Rocco, 2010.

MURARO, R. M. A mulher no terceiro milênio. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1995.

NASCIMENTO, E. F. do; GOMES, R.; REBELLO, L. E. F. de S. Violência é coisa de homem? A “naturalização” da violência nas falas de homens jovens. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 14, n. 4, Ago 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232009000400021>. Acesso em: jan. 2019.

RITT; C. F.; CAGLIARI, C. T. S; COSTA, M. M. da. Violência cometida contra a mulher compreendida como violência de gênero. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/nucleomulher/arquivos/artigo_violencide%20genero>. Acesso em: jan. 2019.

SABADELL, A. L. Manual de Sociologia Jurídica: introdução a uma leitura externa do Direito. 3 ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2005.

THERBORN, G. Sexo e poder: a família no mundo, 1900-2000. Tradução de Elisabete Dória Bilac. São Paulo: Contexto, 2006.

TIBURI, M. Feminismo em comum: para todas, todes e todos. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2018.

ZINANI, C. J. A. Literatura e gênero: A construção da identidade feminina. 2.ed. Caxias do Sul: Editora da Universidade de Caxias do Sul, 2013.

ZOLIN, L. O. Literatura de Autoria Feminina. In: BONNICI, T; ZOLIN, L. O. (orgs.). Teoria Literária: Abordagens históricas e tendências contemporâneas. 3. ed. Maringá: Eduem, 2009.

Recebido em 21-02-2020 | Aceito em 01-04-2020

Biografia do Autor

Ana Maria Soares ZUKOSKI, Universidade Estadual de Maringá

Ana Maria Soares Zukoski é doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Letras: Estudos Literários da Universidade Estadual de Maringá, sob a orientação da profa. Dra. Alba Krishna Topan Feldman. Mestra em Letras: Estudos Literários pela mesma instituição. Graduada em Letras Português/Inglês pela Universidade Estadual do Paraná - Campus de Campo Mourão. E-mail: anazukoski@gmail.com

André Eduardo TARDIVO, Universidade Estadual de Maringá - UEM

André Eduardo Tardivo é mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Letras: Estudos Literários da Universidade Estadual de Maringá, sob a orientação da profa. Dra. Lúcia Osana Zolin. Graduado em Letras Português/Inglês pela Universidade Estadual do Paraná - Campus de Campo Mourão. E-mail: tardivo.andre@gmail.com

Wilma dos Santos COQUEIRO, Universidade Estadual do Paraná

Wilma dos Santos Coqueiro possui graduação em Letras pela Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão (1997) e mestrado em Letras pela Universidade Estadual de Londrina (2003). É Doutora em Letras/área de concentração em Estudos Literários, na linha de pesquisa Literatura e construção de identidades, orientação da professora Lúcia Osana Zolin, na Universidade Estadual de Maringá. Também é professora adjunta da Unespar/campus de Campo Mourão, atuando principalmente nos seguintes, temas: Literatura Brasileira Contemporânea, Literatura de Autoria feminina e Literatura e Ensino. Foi coordenadora do curso Letras Português/Inglês,de fevereiro de 2016 a fevereiro de 2018. O projeto de Tide desenvolvido na Unespar/campus de Campo Mourão tem como temática A Ficção Brasileira de Autoria Feminina do século XXI: vertentes e temáticas. Integra como pesquisadora o Grupo de Pesquisa Diálogos Literários e o Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação, Diversidade e Cultura - GEPEDIC, ambos da UNESPAR/Campus de Campo Mourão e o Grupo de Pesquisa LAFEB, da Universidade Estadual de Maringá. E-mail: wilmacoqueiro@gmail.com 

Downloads

Publicado

08-06-2020

Como Citar

ZUKOSKI, A. M. S.; TARDIVO, A. E.; COQUEIRO, W. dos S. O FRENÉTICO COMPASSO DA VALSA NEGRA: ASPECTOS DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NO ROMANCE DE PATRÍCIA MELO. Trama, [S. l.], v. 16, n. 38, p. 12 24, 2020. DOI: 10.48075/rt.v16i38.24089. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/24089. Acesso em: 17 ago. 2022.

Edição

Seção

Literatura Brasileira Contemporânea: desafios e perspectivas