COPIAR, COLAR, REPETIR: A POESIA EM DESLOCAMENTO DE MARÍLIA GARCIA E SEUS EFEITOS SOBRE A LEITURA NA ERA DA CULTURA DIGITAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v16i38.24206

Palavras-chave:

Marília Garcia, Poesia contemporânea, Deslocamento, Cultura digital, Leitura

Resumo


Este texto reflete sobre os procedimentos utilizados pela poeta Marília Garcia em seus livros um teste de resistores e Câmera lenta (publicados em 2014 e 2017, respectivamente) a fim de promover o que podemos chamar de uma poética do deslocamento. A partir de uma série de trechos de poemas de Marília, mostra-se como a poeta se vale de procedimentos como os de copiar, colar (citar) e repetir. Trata-se de procedimentos comuns à cultura digital, mas que na poesia de Marília operam de outro modo, mais devagar e atento. Dessa exposição e discussão, depreende-se que a proposição de outro ritmo, somada à reflexão sobre a linguagem que existe nessa poesia, sugere outros modos de lidar com a rapidez da época em que vivemos, além de incentivar um novo modo de ler dentro da cultura digital, um modo mais pessoal, curioso e ativo.

Referências

BARTHES, Rolland. Aula inaugural da cadeira de Semiologia Literária do Colégio de França. São Paulo: Editora Cultrix, 2004.
_______. O rumor da língua. São Paulo: Brasiliense, 1988.
CÁTROPA, Andréa. Para onde nos levam as hélices do poema? Estudo de literatura brasileira contemporânea, n. 55, 2018.
FRIAS, Joana Matos; SILVA, Sofia de Sousa. Apresentação. Revista eLyra, n. 7, 2016.
GARCIA, Marília. Câmera lenta. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.
_______. um teste de resistores. Rio de Janeiro: 7Letras, 2014.
GARRAMUÑO, Florencia. Frutos Estranhos: sobre a inespecificidade na estética contemporânea. Rio de Janeiro: Rocco, 2014.
KRAUSS, Rosalind. “Sculpture in the expanded field”. In: October, n. 8, 1979.
LOPES, Silvina Rodrigues. A anomalia poética. Belo Horizonte: Chão da feira, 2019.
MICHAUX, Henri. A verdadeira poesia faz-se contra a poesia. Cadernos de leituras (Chão da feira), n. 12, 2011.
PEREC, Georges. L’infra-ordinaire. Paris: Le Seuil, 2015.
RIAUDEL, Michel. “O autor invisível: tradução e criação na obra de Ana Cristina Cesar”. In: Sereia de papel: visões de Ana Cristina Cesar. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2015.
ROUXEL, Annie. Práticas de leitura: quais rumos para favorecer à expressão do sujeito leitor? Cadernos de Pesquisa, v. 42, n. 145, 2012.
SANTIAGO, Silviano. “Singular e anônimo”. In: Poética. São Paulo: Companhia das Letras, 2013, p. 452.
SÜSSEKIND, Flora. Até segunda ordem não me risque nada: os cadernos, rascunhos e a poesia-em-vozes de Ana Cristina Cesar. Rio de Janeiro: 7Letras, 1995.

Recebido em 05-03-2020 | Aceito em 03-06-2020

Biografia do Autor

Mariana Cobuci Schmidt BASTOS, Universidade de São Paulo

Mestra em Letras pela Universidade de São Paulo e doutoranda (bolsista CNPq) no Programa de Pós-Graduação em Literatura Brasileira pela mesma Universidade, sob a supervisão do Prof. Dr. Ivan Francisco Marques. E-mail: mariana.cobuci.bastos@usp.br

Downloads

Publicado

08-06-2020

Como Citar

BASTOS, M. C. S. COPIAR, COLAR, REPETIR: A POESIA EM DESLOCAMENTO DE MARÍLIA GARCIA E SEUS EFEITOS SOBRE A LEITURA NA ERA DA CULTURA DIGITAL. Trama, [S. l.], v. 16, n. 38, p. 89 98, 2020. DOI: 10.48075/rt.v16i38.24206. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/24206. Acesso em: 17 ago. 2022.

Edição

Seção

Literatura Brasileira Contemporânea: desafios e perspectivas