A LEITURA DA PROPAGANDA: DE QUE MODO GÊNERO TEXTUAL E INTERPRETAÇÃO PRAGMÁTICA DIALOGAM

Autores

  • Mirian Schröder

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v8i16.6950

Palavras-chave:

Textual genre, pragmatics, advertising

Resumo


Diante de determinado gênero textual, o interpretante se vale de diferentes modelos de interpretação. Buscando aliar a teoria pragmática a dos gêneros textuais, este trabalho visa verificar até que ponto o gênero textual influencia na construção da interpretação pragmática pelo interpretante. Para testar esta hipótese são trabalhados dois textos publicitários do sabonete Lux (campanha de 1951, estrelada por Elizabeth Taylor, e de 2003, protagonizada por Gisele Bündchen).

Downloads

Publicado

21-08-2012

Como Citar

SCHRÖDER, M. A LEITURA DA PROPAGANDA: DE QUE MODO GÊNERO TEXTUAL E INTERPRETAÇÃO PRAGMÁTICA DIALOGAM. Trama, [S. l.], v. 8, n. 16, p. 59–73, 2012. DOI: 10.48075/rt.v8i16.6950. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/6950. Acesso em: 28 maio. 2022.

Edição

Seção

ARTIGO