“SINGULARIDADES DE UMA RAPARIGA LOIRA”, DE EÇA DE QUEIRÓS: DA TAGARELICE À FRUIÇÃO

Autores

  • Ligia de Amorim Neves
  • Clarice Zamonaro Cortez

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v9i17.8209

Palavras-chave:

Prazer e fruição, Barthes, Eça de Queirós

Resumo


 O presente artigo tem como objetivo compreender de que modo os pressupostos do pensamento pós-estruturalista de Barthes em O prazer do texto (1973) permitem realizar uma leitura que transponha a margem do texto de prazer (plaisir) rumo ao de fruição (jouissance). Para tanto, faz-se uma análise do conto realista “Singularidades de uma rapariga loira”, do livro Contos (1873), de Eça de Queirós.

Downloads

Publicado

28-05-2013

Como Citar

DE AMORIM NEVES, L.; ZAMONARO CORTEZ, C. “SINGULARIDADES DE UMA RAPARIGA LOIRA”, DE EÇA DE QUEIRÓS: DA TAGARELICE À FRUIÇÃO. Trama, [S. l.], v. 9, n. 17, p. 121–132, 2013. DOI: 10.48075/rt.v9i17.8209. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/8209. Acesso em: 26 jan. 2022.

Edição

Seção

ARTIGO