OCORRÊNCIA DE FITONEMATÓIDES NA CULTURA DO ALGODÃO EM SEQUEIRO NA REGIÃO OESTE DA BAHIA

Gabriel Augusto Juchem, Juliane Karsten

Resumo

Os fitonematóides causam elevadas perdas anuais à produção agrícola mundial, a literatura relata que praticamente todas as espécies de plantas cultivadas sofrem danos causados por pelo menos uma espécie de nematoide, algumas culturas inclusive, são hospedeiras de várias espécies. Dentre as culturas que sofre com os ataques desse patógeno destaca-se o algodoeiro, (Gossypium hirsutum L.) sendo uma das plantas cultivadas de maior importância econômica do grupo das fibras, pelo volume e valor da produção. Assim, o objetivo deste trabalho foi realizar um estudo de caso da ocorrência das principais espécies de fitonematóides que acometem as lavouras de algodão cultivadas em sequeiro na região Oeste da Bahia. Para tanto entre setembro e outubro de 2014 recorreu-se a literatura especializada no problema proposto, selecionando-se 10 documentos, sendo 4 publicações específicas da região oeste da Bahia. Os três principais nematoides presentes nas áreas agrícolas do País, fazem presentes também nesta região, são eles: Meloidogyne incógnita, Pratylenchus brachyurus e Rotylenchulus reniformis. Por serem parasitas de difícil controle, deve-se evitar a introdução desses nematoides. No caso do Cerrado, esses parasitas já ocorrem em solos sob a vegetação nativa, porém muitas vezes em níveis populacionais baixos ou até mesmo não detectáveis.  Rotação e sucessão com culturas não hospedeiras são aparentemente os métodos mais promissores de manejo, apesar de existirem poucas opções de culturas para essa finalidade.  

Texto completo:

PDF