VIABILIDADE DO CONSÓRCIO ENTRE BETERRABA E COUVE-CHINESA SOB DIFERENTES DIAS DE TRANSPLANTE

Fabio da Silva Melo, Adalberto Santi, Rivanildo Dalacort, Ronicely Pereira da Rocha, Esdras da Silva Santos, Cleonir Andrade Farias Junior

Resumo

A técnica de consórcio entre culturas é uma prática de cultivo muito utilizada na olericultura, onde pode influenciar de maneira positiva ou negativa na produção, podendo gerar benefícios econômicos ou não. O objetivo deste trabalho foi avaliar a viabilidade do consórcio entre a cultura da beterraba e da couve-chinesa em relação aos dias de transplante da couve-chinesa após o transplante da beterraba. O trabalho foi realizado na Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), Campus Universitário de Tangará da Serra, durante o período de maio a julho de 2014. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualisados (DBC), com sete tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos analisados foram os cultivos consorciados de beterraba e couve-chinesa, onde a couve-chinesa foi transplantada simultaneamente e a cada sete dias após o transplante da beterraba, sendo de 0 até 28 dias, cultivo solteiro da beterraba e o cultivo solteiro da couve-chinesa. O cultivo consorciado de beterraba e couve-chinesa teve boa viabilidade econômica. Sendo recomendado o estabelecimento do consórcio entre essas culturas aos 28 dias após o transplante da beterraba.

 

Texto completo:

PDF