Influência da época de desfolha no desempenho enológico da uva ‘Cabernet Sauvignon’ cultivada em região de altitude

Douglas André Würz, Ricardo Allebrandt, José Luiz Marcon Filho, Betina Pereira de Bem, Alberto Fontanella Brighenti, Marcus Outemane, Leo Rufato, Aike Anneliese Kretzschmar

Resumo

Comparou-se o efeito da época de desfolha, e verificou-se sua influência na composição química dos vinhos de Cabernet Sauvignon cultivada em regiões de altitude no sul do Brasil. Os tratamentos consistiram da desfolha das videiras, em cinco diferentes estádios fenológicos: plena florada, grão chumbinho, grão ervilha, virada de cor, 15 dias após a virada de cor e controle sem desfolha. As microvinificações foram realizadas no laboratório de Enologia UDESC de Lages, sendo avaliadas as variáveis: acidez total titulável, pH, densidade, polifenóis totais, antocianinas, coloração Abs 420, 520 e 620 nm, intensidade de cor e tonalidade de cor. O delineamento experimental oi inteiramente casualizado com quatro repetições e os dados foram submetidos à análise de variância  e comparados pelo Teste Scott Knott a 5% de probabilidade. Os vinhos elaborados provenientes de uvas submetidas ao manejo da desfolha tiveram maior pH, conteúdo de polifenóis totais, antocianinas e intensidade de cor, não diferindo a acidez total titulável e a densidade dos vinhos. Os resultados demonstram que o manejo da desfolha apresenta os benefícios esperados pelo vitivinicultor, com aumento do conteúdo de polifenóis totais e coloração do vinho.

Palavras-chave

composição fenólica, desfolha precoce, vinhos de altitude.

Texto completo:

PDF