DESENVOLVIMENTO DA LINHAÇA MARROM EM DIFERENTES NÍVEIS DE LENÇOL FREÁTICO

Felipe Samways Santos, Luiz Antonio Zanão Junior, Reginaldo Ferreira Santos, Patrícia Pereira Dias

Resumo


A disponibilidade hídrica para culturas é tema constante de pesquisas, pois a necessidade varia de acordo com características da própria cultura, manejo do solo, condições climáticas, entre outros. O presente trabalhou objetivou avaliar o desenvolvimento da linhaça marrom (Linum usitatissimum L.) em diferentes níveis de lençol freático. O experimento foi conduzido na cidade de Cascavel – PR, em casa de vegetação pertencente à Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE. A semeadura foi realizada num conjunto de lisímetros de lençol (0,10; 0,20; 0,30; 0,40; 0,50 e 0,60 m) constante em delineamento experimental inteiramente casualizado com seis tratamentos e seis repetições. O comportamento vegetativo foi avaliado através das variáveis fenométricas altura da planta, massa fresca e seca da planta, número de cápsulas, massa fresca e seca de cápsulas. Os resultados permitiram concluir que as características fenométricas da linhaça foram influenciadas de maneira positiva pelo rebaixamento do nível freático, com exceção da variável massa fresca de cápsulas, onde a melhor resposta foi obtida ao nível de 0,3 m do lençol freático.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Acta Iguazu


ISSN 2316-4093 (versão eletrônica)

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Cascavel
Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Energia na Agricultura

Rua Universitária, 1619 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110
E-mail: revista.actaiguazu@unioeste.br