Análise da motivação acadêmica de universitários de educação física

Isabella Caroline Belem, Silvia Regina Nishiyama Sucupira Sarto, Marlis Eduarda Mendes Fernandes, Jorge Both

Resumo

Objetivo: O presente estudo teve por objetivo identificar o nível de motivação dos acadêmicos do curso de Educação Física Bacharelado. Métodos: Esta pesquisa tem caráter transversal e descritivo. Fizeram parte deste estudo 146 universitários do curso de Educação Física Bacharelado de uma universidade do norte-central do Paraná, Brasil. Como instrumentos foram utilizados um inquérito para caracterização sociodemográfica dos participantes e a Escala de Motivação Acadêmica (EMA). Para a análise dos dados, foram utilizados o teste Prova U de Mann-Whitney e o teste Kruskal-Wallis, adotando o nível de significância de 95% (p<0,05). Resultados: Observou-se que os acadêmicos do sexo masculino apresentaram maior motivação extrínseca por Regulação identificada (p=0,012). Constatou-se que os acadêmicos que trabalham mais de 20 horas por semana são motivados por regulação identificada (p=0,011), enquanto os acadêmicos que não trabalham foram mais motivados extrinsecamente por regulação integrada (p=0,020). Conclusão: Conclui-se que os universitários das séries iniciais, do sexo masculino, que trabalham e estudam, e praticaram esportes durante a infância e/ou adolescência são motivados e se dedicam a graduação, sendo mais motivados no domínio de motivação extrínseca por regulação identificada na qual, o comportamento é motivado pela apreciação dos resultados.

ABSTRACT. Academic motivation analysis of physical education college students. Objective: The present study aimed to identify the level of motivation of the students of Bachelor in Physical Education. Methods: This research has a transversal and descriptive character. This study included 146 undergraduates from the Bachelor of Physical Education course at a university in the north-central part of Paraná, Brazil. As instruments, a survey was used for sociodemographic characterization of the participants and the Academic Motivation Scale (EMA). For the analysis of the data, the Mann-Whitney U test and the Kruskal-Wallis test were used, adopting level of significance 95% (p<0.05). Results: The results showed that the 1st, 2nd and 4th year students presented higher extrinsic motivation by the Identified Regulation (p<0.001). It was observed that male students presented higher extrinsic motivation by the identified regulation (p=0.012). It was found that academics who work more than 20 hours per week are motivated by identified regulation (p=0.011), while non-working academics were more motivated extrinsically by integrated regulation (p=0.020). Conclusion: It is concluded that the university students of the initial series, male, who work and study, and practiced sports during childhood and / or adolescence are motivated and are dedicated to graduation, being more motivated in the field of extrinsic motivation by identified regulation in which, the behavior is motivated by the appreciation of the results.

Palavras-chave

Motivação. Ensino Superior. Estudantes de Educação Física.

Texto completo:

PDF

Referências

ALCARA, A. R.; GUIMARÃES, S. É. R. Orientações motivacionais de alunos do curso de biblioteconomia. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, Campinas, v. 14, n. 2, p. 211-20, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Censo da Educação Superior – CES. Brasília, 2014. Disponível em: . Acessado em: 23 de março de 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Educação Superior Cadastro e-MEC. Disponível em: . Acessado em: 28 de fevereiro de 2018.

CARDOSO, L. R.; BZUNECK, J. A. Motivação no ensino superior: metas de realização e estratégias de aprendizagem. Psicologia Escolar e Educacional, Campinas, v. 8, n. 2, p. 145-55, 2004.

COSTA, L. C. A.; PASSOS, P. C. B; BELEM, I. C.; CONTREIRA, A. R.; VIEIRA, L. F. Estilo motivacional e comportamento assertivo de professores de educação física ao longo da carreira. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 30, n. 2, p. 457-65, 2016.

DECI, E. L.; RYAN, R. M. Intrinsic motivation and self-determination in human behavior. Nova York: Plenum; 1985.

DECI, E. L.; RYAN, R. M. The “what” and “why” of goal pursuits: human needs and the self-determination of behavior. Psychological Inquiry, Abingdon, v. 11, n. 4, p. 227-68, 2000.

DECI, E. L.; RYAN, R. M. Motivation, personality, and development within embedded social contexts: An overview of self-determination theory. In: RYAN, R. M. (Org.). The oxford handbook of human motivation. New York: Oxford University Press, 2012. p. 85-107,

GUIMARÃES, S. E. R.; BZUNECK, J. A. Propriedades psicométricas de um instrumento para avaliação da motivação de universitários. Ciências & Cognição, Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, p. 101-13, 2008.

GUIMARÃES, S. E. R.; BORUCHOVITCH, E. O estilo motivacional do professor e a motivação intrínseca dos estudantes: uma perspectiva da teoria da autodeterminação. Psicologia, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 143-50, 2004.

JOLY, M. C. R. A.; PRATES, E. A. R. Avaliação da escala de motivação acadêmica em estudantes paulistas: propriedades psicométricas. Psico, Itatiba, v. 16, n. 2, p. 175-84, 2011.

LEAL, E. A.; MIRANDA, G. J.; CARMO, C. R. S. Teoria da Autodeterminação: uma análise da motivação dos estudantes do curso de ciências contábeis. Revista Contabilidade & Finanças, São Paulo, v. 24, n. 62, p. 162-73, 2013

LENS, W.; MATOS, L.; VANSTEENKISTE, M. Professores como fonte de motivação dos alunos: o quê e o porquê da aprendizagem do aluno. Educação, Porto Alegre, v. 31, n.1, p. 17-20, 2008.

PORTO, R. C.; GONCALVES, M. P. Motivação e envolvimento acadêmico: um estudo com estudantes universitários.Psicologia Escolar e Educacional, Maringá, v. 21, n. 3, p. 515-22, 2017.

RAMOS, S. I. V. Motivação acadêmica dos alunos do ensino superior. Psicologia.pt, Revista Digital, Porto, 2013. Disponível em: . Acessado em: 23 de março de 2019.

RYAN, R. M.; DECI, E. L. Self-determination theory and the facilitation of intrinsic motivation, social development, and well-being. American Psychologist, Washington, v. 55, n. 1, p. 68-78, 2000.

SANTOS, A. A. A.; MOGNON, J. F.; LIMA, T. H. de; CUNHA, N. B. A relação entre vida acadêmica e a motivação para aprender em universitários. Psicologia Escolar e Educacional, Maringá, v. 15, n. 2, p. 283-90, 2011.

SEMESP. Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior, do Estado de São Paulo. Mapa do Ensino Superior 2015. Disponível em: . Acessado em: 23 de março de 2019.

SOBRAL, D. T. Motivação do aprendiz de medicina: uso da escala de motivação acadêmica. Psicologia, Brasília, v. 19, n. 1, p. 25-31, 2003.

THOMAS, J. R.; NELSON, J. K. Métodos de pesquisa em atividade física. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2002.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Incluir comentário
';