Professores(as)-pesquisadores(as) de educação física na educação básica: idiossincrasias e fomento à formação na região metropolitana de Fortaleza

Amanda Taiane Correia de Oliveira, Liana Lima Rocha, Luciana Venâncio, Luiz Sanches Neto

Resumo

Introdução: Investigamos as características dos processos formativos de três docentes e os motivos subjacentes à sua mobilização como professores(as) que se preocupam em pesquisar. Objetivo: O objetivo de nossa investigação é compreender as idiossincrasias desses(as) professores(as)-pesquisadores(as), que investigam suas próprias práticas educativas na educação básica, na área da educação física na cidade de Fortaleza e na região metropolitana. Métodos: O nosso estudo é fundamentado em uma pesquisa qualitativa com a colaboração de professores(as) de educação física de escolas públicas da rede estadual de educação básica de Fortaleza. A pesquisa colaborativa foi realizada com uma professora e dois professores ao longo de um ano e meio. Resultados: Temos como principal resultado da pesquisa, o engajamento efetivo dos(as) professores(as) com as suas práticas educacionais. Portanto, a responsabilidade com os processos de ensino está associada aos modos de investigação realizados pelos(as) docentes. Conclusão: Consideramos que o envolvimento com projetos e também com grupos de estudos das universidades, tanto durante a graduação quanto na pós-graduação, tornam o trabalho de cada professor(a) diferenciado em termos (auto)formativos.

Palavras-chave

pesquisa colaborativa; formação de professores(as); educação física escolar

Referências

ARNOSTI, R. P.; BENITES, L. C.; SOUZA NETO, S. Do direito à ternura à pedagogia do amor: um estudo sobre a identidade do professor em sua dimensão (sócio-)afetiva. 2011. 114 f. Relatório de Iniciação Científica: CNPQ, nº 800123/2011-5. Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro-SP, 2011.

BETTI, M. Educação física escolar: ensino e pesquisa-ação. Unijuí, 2009. BRACHT, Valter. Coletivo de autores: a cultura corporal em questão.

CASTELLANI FILHO, L. e colaboradores. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo: Cortez, p. 184- 198, 2009.

CONCEIÇÃO, W. L. Histórias de vidas que se unem: a professora, o professor e os [elos com os] jovens infratores. 2017. 1 recurso online (136 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2018.

COSTA, L. C. A.; NASCIMENTO, J. V. O “bom” professor de Educação Física: possibilidades para a competência profissional. Journal of Physical Education, v. 20, n. 1, p. 17-24, 2009.

CUNHA, Maria Isabel da. O bom professor e sua prática. Papirus Editora, 1989.

OLIVEIRA, Amanda Taiane Correia de; INOUE, Gabriel Pires; SANCHES NETO, Luiz. Processos formativos colaborativos na educação física escolar: complexidade e sistematização. Encontros Universitários da UFC, v. 2, n. 1, p. 1609.

FAGUNDES, T. B. Os conceitos de professor pesquisador e professor reflexivo: perspectivas do trabalho docente. Revista Brasileira de Educação, v. 21, n. 65, pp. 281-298, 2016.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática docente. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GALVÃO, Z. Educação física escolar: a prática do bom professor. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, v. 1, n. 1, 2009.

KUNZ, E.; TREBELS, A. H. Educação física crítico-emancipatória. Ijuí-RS: Unijuí, 2006.

LÜDKE, M. O professor, seu saber e sua pesquisa. Educação & Sociedade, ano 22, n. 74, p. 251-283, Campinas, abr. 2001.

MIZUKAMI, M. G. N. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

BRASIL, Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: educação física. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

MOCKLER, Nicole. Beyond ‘what works’: understanding teacher identity as a practical and political tool. Teachers and Teaching: Theory and Practice, v. 17, n. 5, p. 517-528, oct. 2011.

PERRENOUD, P.; NÓVOA, A.; FARIA, H. Práticas pedagógicas, profissão docente e formação: perspectivas sociológica. Lisboa: Dom Quixote, 1993.

RANGEL-BETTI, I. C.; GALVÃO, Z. Ensino reflexivo em uma experiência no ensino superior em Educação Física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 22, n. 3, 2001, p. 106-116.

SAMPAIO, J. M. F.; NASCIMENTO, P. R. B. Possibilidades didáticas nas aulas de educação física: o conteúdo “exercício físico e saúde” no ensino médio. Caderno de Educação Física e Esporte, v. 16, n. 2, p. 1-6, jul./dez. 2018. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/19560/pdf. Acesso em: 15 dez. 2018.

SANCHES NETO, L.; SOUZA NETO, S.; BETTI, M. Teachers-researchers: between what they think and what they do. Anais… International Association for Teachers and Teaching – ISATT Biennial Conference, Universidade do Minho, Portugal, jul. 2011, p. 469-480.

SCHÖN, D. The reflective practitioner. Nova York: Basic Books, 1983.

SCHÖN, D. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, v. 2, p. 77-91, 1992.

STENHOUSE, L. An introduction to curriculum research and development. Heinemann: Pearson, 1975.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis-RJ: Vozes, 2012.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Incluir comentário
';