A dinâmica migratória na (trans)formação territorial do Sudoeste paranaense

Marcos Leandro Mondardo, Thaine Regina Backes

Resumo

O Sudoeste do Paraná é uma região singular quanto à sua
dinâmica populacional. Até 1900 sua população era pouco numerosa,
basicamente formada por caboclos. A partir de 1920, no Rio
Grande do Sul, ocorre uma crise pela fragmentação das pequenas
propriedades, o que vai gerar um excedente populacional agrícola.
Com a Criação da Colônia Agrícola General Osório (CANGO), em
meados 1940 desloca-se um fluxo populacional gaúcho, constituído
por indivíduos de origem italiana e alemã, que se deslocam para
o Sudoeste do Paraná, formando pequenas propriedades de agricultura
familiar. Por volta de 1970 o Sudoeste passa por transformações
intensas na sua estrutura econômica e social, onde a modernização
da agricultura resulta em um êxodo rural. Deslocando populações
em direção aos estados de Mato Grosso, Rondônia, e até
outros países como o Paraguai. Ocorre também a emigração no próprio
sudoeste do Paraná, sendo que a população continua migrando
e transformando a região.

Palavras-chave

Imigrações; Emigrações; Transformações territoriais.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.