LACLAU, MOUFFE E PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS FEDERAIS GREVISTAS: ANÁLISE DOS EFEITOS DE (IM)PARCIALIDADE NAS NOTÍCIAS VEICULADAS PELA MÍDIA

Fernanda Roda de Souza Araújo Cassundé, Nildo Ferreira Cassundé Junior

Resumo

Considerando a importância do movimento grevista para a formação de consciência de classes, espera-se encontrar uma pluralidade de vozes presentes na construção dos significados relacionados ao movimento. Assim, recorre-se à Teoria do Discurso proposta por Laclau e Mouffe (1985) na expectativa de se responder à seguinte pergunta: como a mídia arquitetou o discurso sobre a greve de 2012 dos professores universitário federais durante os quatro meses de paralisação. Assume-se uma abordagem crítica, de corrente pós-estruturalista e matriz pós-marxista, adotando uma estratégia de pesquisa qualitativa. Vinte e uma notícias foram recuperadas no Jornal Folha de São Paulo, hegemônico à época do estudo. Nas reportagens analisadas é perceptível o posicionamento do jornal em não se mostrar indiferente a existência da greve, especialmente considerando as datas das reportagens. No entanto, a evidência que foi conferida ao movimento permite questionar o grau de importância que esta mídia se prestou a dar. Ao trabalhar o discurso nos termos da interação social, este artigo se propôs a analisar o discurso (jornalístico) como sendo constitutivamente dialógico, não necessariamente polifônico, em que os sujeitos envolvidos lutam constantemente pela hegemonia.

Palavras-chave

Teoria do discurso; Laclau e Mouffe; Movimento grevista; Administração

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.