A COMUNIDADE CATÓLICA E A CONGREGAÇÃO EVANGÉLICA: DUAS INTERPRETAÇÕES DE UM MESMO MODELO SOCIORRELIGIOSO

Véronique Boyer

Resumo


Costumamos abordar a questão da adesão às igrejas evangélicas em termos de rupturas com o catolicismo, tanto no etos quanto nas redes de sociabilidade, no comportamento político e na conduta econômica. No intuito de discutir esta hipótese dominante, analisarei as modalidades de constituição de uma congregação evangélica numa “comunidade” que se define como católica, a partir de um estudo de caso amazônico. Veremos então que, paralelamente a estas rupturas, é possível identificar várias continuidades nas práticas e categorias religiosas utilizadas e vários valores compartilhados. Por isto, defendo que a comunidade católica e a congregação evangélica são duas concretizações de um mesmo modelo de organização onde as questões sócio-políticas são tratadas a partir do religioso. Me parece, portanto, que o sucesso do movimento evangélico está ligado à sua capacidade em fornecer novos instrumentos simbólicos e discursivos em embates altamente políticos.

Palavras-chave


catolicismo; comunidade; congregação; evangelismo.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Tempo da Ciência



e-ISSN: 1981-4798 — ISSN: 1414-3089

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Toledo
Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais

Rua da Faculdade, 645 — Jardim La Salle
CEP: 85903-000 — Toledo-Paraná-Brasil

| revistatempodaciencia@yahoo.com.br |