Componentes filosóficos do olhar trágico-histórico em Machado de Assis

Claércio Ivan Schneider

Resumo


Neste artigo, pretende-se identificar e analisar a constituição e o significado do pensamento trágico-histórico em Machado de Assis a partir do estudo e da análise de alguns de seus principais críticos: Barreto Filho, Miguel Reale e Afrânio Coutinho. Estes críticos estabeleceram uma inteligibilidade do projeto literário machadiano a partir da historicidade de suas influências filosóficas e contextuais. O olhar trágico de Machado vai sintetizar um estado de consciência que o singularizava no cenário intelectual brasileiro, uma vez que compreendia o final do século XIX pelo filtro do pessimismo, do desencanto, da quebra das aparências, do niilismo, da contradição etc. A idéia fundamental do artigo, portanto, esta em historicizar a tradição literária que toma a filosofia como chave de leitura do “projeto criador” em Machado de Assis.


Palavras-chave


Machado de Assis; história e filosofia; tragédia

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Tempo da Ciência



e-ISSN: 1981-4798 — ISSN: 1414-3089

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Toledo
Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais

Rua da Faculdade, 645 — Jardim La Salle
CEP: 85903-000 — Toledo-Paraná-Brasil

| revistatempodaciencia@yahoo.com.br |