Fragmentação nas Redes do Fórum Social Mundial: como se comporta o “evento global”?

Fernanda de Almeida

Resumo


Como parte do processo de construção de novas formas de organização dasociedade civil, as Redes na Internet tornaram-se um meio e uma metodologia utilizada paraa troca de experiências e de atividades entre organizações. Tal metodologia de trabalho temsido extensamente utilizada por ISMs (movimentos sociais via internet), redes de ONGs(organizações não-governamentais), etc. e na organização de grandes eventos do atualcenário político do qual fazem parte os atores antiglobalização, como é o caso do FSM(Fórum Social Mundial). A opção pelo uso das ações coordenadas por redes, no contexto doFSM, tem, contudo, gerado questionamentos a respeito do tipo de relação estabelecida emseu interior, e.g., o estabelecimento de hierarquias, e gerado preocupações acerca de umapossível fragmentação e conseguinte descaracterização do evento que se propõe ser global.Sendo assim, em um esforço preliminar e fazendo uso de metodologias utilizadas em ANS(análises de redes sociais), o presente artigo procura investigar as redes do FSM, observar aexistência ou não dessas novas relações e disputas, e pensar como tal fragmentação podeestar contribuindo para uma possível recaracterização desse evento.

Palavras-chave


Fórum Social Mundial. Análise de redes sociais (ANS). Redes

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Tempo da Ciência



e-ISSN: 1981-4798 — ISSN: 1414-3089

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Toledo
Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais

Rua da Faculdade, 645 — Jardim La Salle
CEP: 85903-000 — Toledo-Paraná-Brasil

| revistatempodaciencia@yahoo.com.br |