DE MONTEIRO LOBATO A PEDRO BANDEIRA, AS ADAPTAÇÕES DOS CLÁSSICOS NO BRASIL

Cátia Toledo Mendonça

Resumo

Este artigo discute as adaptações dos clássicos, feitas para jovens no Brasil, enfatizando dois autores em particular: Monteiro Lobato e Pedro Bandeira, procurando evidenciar as características particulares de cada proposta e a validade da leitura dessas adaptações para o processo de formação do leitor. O texto se constrói a partir dos pressupostos da Estética da Recepção, envolvendo principalmente os conceitos de horizonte de expectativa e de repertório, como suporte para as discussões sobre a validade das adaptações.São discutidas as obras Dom Quixote das crianças, A marca de uma lágrima e Agora estou sozinha. A primeira uma adaptação da obra de Cervantes, feita por Monteiro Lobato, a segunda, uma releitura de Cyrano de Bergerac, de Edmond Rostand, e a terceira, uma releitura de Hamlet, as duas últimas feitas por Pedro Bandeira.

Palavras-chave

Adaptações dos clássicos, Monteiro Lobato, Pedro Bandeira.

Texto completo:

PDF